O portal do Sistema Opinião

POP9

Patu

rn

Suspeito de matar agricultora teria encomendado morte de delegado

Informação foi dada pelo próprio delegado, Sandro Régis, e confirmada em depoimento por homem preso junto com o ortopedista, que também teria delatado outras três mortes

Janeiro 9, 2019 às 20:17 - Por:


O médico ortopedista Wilson Edino de Freitas Jales, 45 anos, preso nesta quarta-feira (9) como suspeito de assassinar a agricultora Francisca Alves Silva Oliveira, 68 anos; teria encomendado a morte do delegado de Patu, Sandro Régis. A informação foi passada pelo próprio delegado na tarde desta quarta-feira (9) e sido confirmada em depoimento dado por Leonardo Rodrigues do Nascimento, 23 anos, um dos três homens presos com o médico logo após a morte da agricultora.

De acordo com Sandro Régis, o ortopedista foi preso por porte ilegal de arma em 2014. “Desde essa prisão ele ficou me jurando. Não pessoalmente”, explicou o delegado.

Há cerca de três meses, de acordo com informações da polícia, um pistoleiro foi a Patu para matar Sandro Régis. Nesse dia, o delegado não estava na cidade. Mas ligações feitas anonimamente informaram à polícia sobre a presença do homem e sua intenção. Os policiais chegaram a perseguir o suspeito, mas ele conseguiu fugir. Semanas depois, esse mesmo homem apareceu morto na cidade de Areia Branca, a 170 quilômetros de Patu.

Leia também:
Médico e mais três homens são presos por suspeita de matar idosa

Nesta quarta-feira, após a prisão do médico e dos outros três homens que estavam com ele, a história foi confirmada. Leonardo Rodrigues contou, em depoimento ao delegado, que o suposto pistoleiro chamava-se Davi e realmente teria sido contratado para matá-lo. Como não conseguiu, acabou morto. De acordo com a testemunha, a mando do ortopedista Wilson Edino de Freitas Jales.

Também em depoimento, Leonardo Rodrigues afirmou que o médico seria o mandante da morte de sua ex-esposa, Rita de Cássia Medeiros de Souza. Ela foi assassinada em fevereiro de 2015. E também de outros dois assassinatos, ambos em 2017.

As vítimas seriam o motorista de ambulância Adolfo Maia, morto em outubro passado; e o agricultor Rawlinsin Rousseau Monteiro Carlos Godeiro, assassinado em julho. De acordo com o delegado da cidade, os dois foram amigos de Wilson Edino, mas tiveram desavenças com ele e passaram a ser jurados de morte.

“A partir de agora vão surgir muitas coisas”, afirma delegado

Os outros dois homens detidos nesta quarta-feira com o ortopedista são Israel Franco de Oliveira, 33 anos; e Júlio Ricardo Neto, 26 anos. O delegado esclareceu que o médico é apontado como suspeito de ser o autor somente no caso da morte da agricultora. Em todos os outros, ele está sob suspeita de ser o mandante. As armas apreendidas com os quatro foram enviadas para a perícia, com o objetivo de verificar também se foram usadas em outros crimes. “A partir de agora vão surgir muitas coisas”, disse o delegado.

No Itep de Mossoró, o jornalista Vilsemar Araújo conversou com uma vizinha da agricultora, que pediu para não ser identificada por medo. Ela contou que “Dona Chica”, como era conhecida a vítima, fazia essa caminhada todos os dias pela manhã, sempre acompanhada do marido, Raimundo Nonato Oliveira, 70 anos. Os dois tiveram quatro filhos.

Nesta quarta-feira, já no retorno para casa, o casal foi vítima desse ataque, que acabou resultando na morte de “Dona Chica”, atingida na cabeça por tiros supostamente disparados pelo médico Wilson Edino.

Everton Dantas

Jornalista. Editor do OP9 no RN

Comentários

OP9

Receba nossa newletter

Com que frequência deseja receber o informativo: