O portal do Sistema Opinião

POP9

Solidariedade

rn

Juiz decide que RN só pode pagar salários após quitar atrasados

Magistrado de Currais Novos atendeu a pedido de vereador do Solidariedade, partido que pela segunda vez entra com pedido para mudar forma como Executivo paga a folha

Fevereiro 11, 2019 às 21:52 - Por: Redação OP9

Caso Fátima Bezerra (PT) não cumpra decisão, comissionados terão seus salários suspensos. Foto: Reprodução/TV Ponta negra

Caso Fátima Bezerra (PT) não cumpra decisão, comissionados terão seus salários suspensos. Foto: Reprodução/TV Ponta Negra

O Governo do RN está proibido de pagar os salários referentes a 2019 enquanto não quitar todos os atrasados existentes. A decisão foi dada nesta segunda-feira pelo juiz Marcus Vinicius Pereira Júnior, da 2ª Vara de Currais Novos, cidade que fica a 182 quilômetros de Natal.

O juiz atendeu a pedido do vereador Ezequiel Pereira da Silva Neto, que é do Solidariedade, partido que semana passada entrou com ação junto ao Tribunal de Justiça, pedindo o pagamento dos salários que ficaram em aberto pela administração anterior. Sexta-feira (8), esse primeiro pedido foi negado. Dessa vez, o pedido foi aceito.

O juiz entendeu que o correto é respeitar a ordem cronológica dos pagamentos e quitar as dívidas que já existem. Estão em aberto parte do 13º de 2017 e da folha de novembro; e os valores integrais da folha de dezembro e o 13º de 2018.

Leia também:
Governo do RN concluí pagamento de salário de janeiro nesta quinta
Ação contra governo e governadora pede pagamento de atrasados no RN
Rombo financeiro no RN é de R$ 2,6 bilhões, aponta relatório
Fátima decreta estado de calamidade financeira no RN

Marcus Vinicius Pereira Júnior argumentou na sua decisão que as dívidas do Rio Grande do Norte não são vinculadas aos gestores Robinson Faria (que deixou o governo) ou Fátima Bezerra (que assumiu a administração com dívidas). E que essa suposta vinculação não pode ser motivo para justificar o pagamento dos salários em dia.

Ele também observou que sua decisão tinha o objetivo de evitar que, no futuro, o Estado arque com prejuízo resultante de ações judiciais cobrando esses atrasados, o que deverá incluir juros e outros acréscimos.

Caso descumpra a decisão, a administração estadual ficará proibida de pagar os salários dos cargos comissionados nomeados para a atual gestão, o que inclui secretários e coordenadores de secretarias. O governo do Estado informou que só vai se pronunciar sobre o assunto quando for notificado oficialmente da decisão.

Juiz recebeu pedido dia 10 e mandou vereador refazer petição

Um detalhe interessante desse processo é que no domingo (10), o mesmo vereador autor da ação entrou com esse mesmo pedido, mas o caso foi julgado de maneira diferente, pelo mesmo juiz.

“Analisando a petição inicial verifico que a mesma necessita de correções a fim de servir como peça destinada à materialização da pretensão autoral, eis que a parte autora, ao juntar o referido documento, o fez de forma incompleta, eis que ao lado direito da petição a mesma é apresentada com um recorte, o que impossibilita a leitura em vários momentos”, escreveu na decisão dada às 17h08.

Ele determinou que o vereador – sua defesa – fossem intimados para corrigir o erro “no prazo de 15 dias, sob pena de indeferimento da petição inicial”. Após a orientação do magistrado, nesta segunda-feira, o vereador já apresentou nova petição e conseguiu decisão favorável às 13h52.

Comentários

OP9

Receba nossa newletter

Com que frequência deseja receber o informativo: