O portal do Sistema Opinião

POP9

Especial

rn

Ítalo Ferreira, da tampa de isopor para o 4º lugar no Mundial de Surfe

Potiguar vive o melhor momento da sua carreira profissional sendo um dos protagonistas da nova ordem mundial do esporte junto com Gabriel Medina, Filipe Toledo e William Cardoso

dezembro 23, 2018 às 10:18 - Por:

Arte: Keops Ferraz/OP9

Arte: Keops Ferraz/OP9

“Glória a Deus! Mais uma temporada na elite do surfe mundial e meu primeiro ano vencendo etapas!” Com essas palavras, Ítalo Ferreira inicia agradecimento e balanço do ano de 2018 na sua página na rede social Instagram, no dia 19 de dezembro, após o resultado espetacular do Brasil do Campeonato Mundial de Surfe deste ano. Natural de Baía Formosa, distante 98 quilômetros de Natal, ele se tornou um dos grandes nomes do esporte no país e no mundo. Um grande feito para o menino que aos oito anos de idade usava uma tampa de isopor para pegar onda. A prancha improvisada depois voltava a preservar os peixes que o pai vendia.

Clique aqui para ver a história de outros personagens de 2018 do Nordeste

No saldo desse ano que termina, o potiguar de 24 anos vive o melhor momento da sua carreira profissional sendo um dos protagonistas da nova ordem mundial do esporte junto com Gabriel Medina, Filipe Toledo e William Cardoso, que venceram praticamente todas as etapas do Circuito em 2018.

Uma grande conquista de 2018 para a carreira de Ítalo foi ter vencido pela primeira vez o Meo Rip Curl Pro Portugal em outubro. Foi a penúltima etapa do circuito principal na qual o potiguar eliminou o compatriota e líder do ranking, Gabriel Medina, e triunfou diante do francês Joan Duru. Com isso, Ítalo venceu três etapas do circuito este ano.

Ainda em Baía Formosa, o garoto surfou a vida inteira em uma das melhores e extensas direitas do Brasil e foi “ensaiando” muitos aéreos e tubos “em casa” que chegou à elite do surfe mundial – está no topo, considerado um dos melhores da atualidade entre os 34 que disputam o WLS.

“Tive grandes momentos, vitórias, derrotas, lesões, problemas pessoais… Mas aqui pra nós, as vitórias foram incríveis e ficarão marcadas para sempre. Estou evoluindo a cada ano e sinto que ainda falta muito, mas o meu desejo de vencer e ser melhor a cada dia só aumenta”, encerra Ítalo um dia após terminar o Mundial de Surfe.

Marline Negreiros

Jornalista. Editora do OP9 no RN

Comentários

OP9

Receba nossa newletter

Com que frequência deseja receber o informativo: