O portal do Sistema Opinião

POP9

CENA CHOCANTE

pe

Vídeo mostra homem sendo morto a tiros após reagir a assalto

Augusto Bezerra Silva, de 24 anos, caminhava de mãos dadas com a noiva por uma rua de Cruz de Rebouças, em Igarassu, quando foi assassinado após tentar dominar assaltante

agosto 11, 2019 às 10:02 - Por: Redação OP9


Trabalhador, noivo e bom filho. Foi assim que o pai de Augusto Bezerra Silva, de 24 anos, descreveu o rapaz, que foi morto na noite de sábado (10) em Cruz de Rebouças, Igarassu, após reagir a um assalto. Em plena manhã do Dia dos Pais, coube a ele reconhecer o corpo da vítima no IML do Recife.

A cena foi gravada por uma testemunha do crime, que ocorreu na Rua Maria das Dores. As imagens fortes mostram um assaltante armado e de capacete  abordando Augusto e a noiva, que seguiam a pé e de mãos dadas. Após roubar a moto dele e a bolsa da noiva, ele aponta a arma para a vítima, que entrega o seu celular.

Leia também:
“Dia dos Pais será para lembrar dele”, diz pai de estoquista morto

Enquanto a noiva consegue fugir, Augusto permanece encarando o assaltante, que tira o capacete, aponta  a arma para a vítima duas vezes e exige que ele vá embora. Após alguns segundos de hesitação, Augusto se recusa a deixar o local e corre em direção ao criminoso. Neste momento, não é mais possível vê-los nas imagens e dois tiros são disparados. Augusto ainda foi socorrido com vida em uma UPA de Igarassu e, logo em seguida, encaminhado ao Hospital Miguel Arraes, em Paulista, onde faleceu.

Segundo o pai da vítima, que não quis ser identificado, Augusto trabalhava como estoquista de uma loja de calçados em um shopping do Recife e estava feliz com a proximidade do casamento com a noiva, que não ficou ferida. Antes do crime, Augusto foi de moto até uma estação de BRT para buscar a noiva e levá-la para casa. No caminho até uma padaria, o casal foi abordado por dois criminosos, incluindo o que aparece nas imagens.

O caso está sendo investigado pelo Departamento do Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). Ninguém foi preso até o momento. Em nota, a Polícia Civil classifica o caso como um latrocínio.

Comentários

OP9

Receba nossa newletter

Com que frequência deseja receber o informativo: