O portal do Sistema Opinião

POP9

Em 3 estados

pe

Suspeito de aplicar mais de 500 golpes se passava por fiel

Linaldo da Silva é suspeito de estelionatos praticados na Bahia, em Alagoas e em Pernambuco. Uma das táticas dele era se passar por fiel de igrejas evangélicas para se aproximar da comunidade e conquistar a confiança das futuras vítimas

junho 12, 2019 às 17:56 - Por: Redação OP9

Além de confessar os estelionatos e de se reconhecer "em situação complicada", Linaldo ainda tentou subornar policiais para se livrar da prisão. Foto: Polícia Civil/Divulgação

Além de confessar os estelionatos e de se reconhecer “em situação complicada”, Linaldo ainda tentou subornar policiais para se livrar da prisão. Foto: Polícia Civil/Divulgação

Um homem acusado de ter praticado pelo menos 500 estelionatos nos estados da Bahia, Alagoas e Pernambuco foi preso no Recife. Segundo a Polícia Civil de Pernambuco, Linaldo da Silva, de 42 anos, utilizava uma empresa de fachada para oferecer serviços de vidraçaria, gesso e construção.

Depois de conquistar clientes, acertar o serviço e receber a primeira parcela do pagamento no fechamento do negócio, ele desaparecia. Com ele, foram apreendidas várias maquinetas de recebimento por cartão de crédito ou de débito.

Para criar uma relação de confiança com os futuros “clientes”, o suspeito se passava por fiel de igrejas evangélicas e se aproximava de pastores, na tentativa de mostrar uma conduta honrada e honesta. “Utilizando a fé, ele conseguia até frequentar a casa das pessoas antes de aplicar o golpe e conseguia que as futuras vítimas fizessem mais indicações de serviços para conhecidos”, relata o delegado.

Quando a tática de Linaldo era enfim descoberta, ele se afastava da comunidade religiosa e procurava outra, onde agia das mesma forma. Só no Recife, foram localizadas três igrejas que ele frequentou, atuando de maneira semelhante em todas elas.

Com o suspeito, foram apreendidas várias maquinetas de recebimento de pagamento por meio de cartão. Foto: Polícia Civil/Divulgação

Com o suspeito, foram apreendidas várias maquinetas de recebimento de pagamento por meio de cartão. Foto: Polícia Civil/Divulgação

Além dos contratantes, ele também aplicava golpes em pessoas convidadas por ele para terceirizar as obras. “Às vezes ele contratava alguém para fazer o serviço, a quem ele também não pagava”, explica do delegado Igor Leite, responsável pelas investigações que localizaram Linaldo. “Muitas vezes ele começavas essas obras apenas para aparentar que iria fazer a conclusão e apara dar uma satisfação à pessoa e para adquirir o material inicial ele praticava o golpe do envelope vazio ou fazia uma transferência bancária de uma conta que não tinha fundos. Então a empresa entregava a mercadoria e depois constatava que o pagamento não havia sido feito”, detalha Igor.

Em depoimento, ele contou que vinha praticando os crimes desde 2014 e confessou ter feito mais de 500 vítimas. Só na Região Metropolitana do Recife, a polícia já identificou 50 pessoas que caíram nos golpes aplicados por Linaldo. Além de todos os crimes pelos quais é acusado, o golpista ainda tentou oferecer dinheiro à equipe policial que o prendeu com o intuito de se livrar da autuação. Por isso, além da autuação pelos estelionatos, ele também foi preso sob a acusação de corrupção ativa.

Uma das formas de atuação de Linaldo era se passar por fiel de igrejas evangélicas e conquistar confiança de pastores. Foto: Polícia Civil/Divulgação

Uma das formas de atuação de Linaldo era se passar por fiel de igrejas evangélicas e conquistar confiança de pastores. Foto: Polícia Civil/Divulgação

Um áudio em que Linaldo sugere corromper o delegado foi gravado no momento da prisão. “Eu quero ver o que o senhor pode fazer por mim para aliviar minha situação, porque estou vendo que estou complicado, e eu chego junto com o financeiro. Quero saber a situação que o senhor pode aliviar meu lado”, diz o suspeito em um trecho da conversa. 

Por conta dos numerosos golpes, vítimas de Linaldo chegaram a publicar um vídeo no YouTube denunciando a atuação dele. Nas imagens, alega-se que ele se apresenta como vidraceiro, engenheiro, dono de pedreira e comprador na plataforma OLX e conquista clientes, estabelece uma relação de confiança, pede um sinal do pagamento e desaparece.

Comentários

OP9

Receba nossa newletter

Com que frequência deseja receber o informativo: