O portal do Sistema Opinião

POP9

CONFUSÃO

pe

Rodeado de encrencas, prefeito de Camaragibe pode ficar inelegível

Investigado pelo Ministério Público por coagir funcionários comissionados, prefeito Demóstenes Meira coleciona polêmicas na cidade, que estão sendo apuradas pelos promotores

Fevereiro 18, 2019 às 19:02 - Por: Redação OP9

Problemas de gestão, denúncias de improbidade administrativa e “trapalhadas” políticas do prefeito Demóstenes Meira (PTB) têm colocado a cidade de Camaragibe, no Grande Recife, no foco do noticiário ao longo dos últimos meses. O Portal OP9 reuniu os casos polêmicos na cidade, alguns investigados pelo Ministério Público de Pernambuco, que podem tornar o prefeito inelegível.

Os áudios polêmicos do prefeito

Nesta segunda-feira (18), o Ministério Público de Pernambuco inaugurou um novo capítulo na lista de escândalos em Camaragibe ao anunciar a instauração de um procedimento investigativo criminal para apurar a divulgação de áudios pelo prefeito Demóstenes Meira no WhatsApp. Nas mensagens, ele convoca “todos os (ocupantes de) cargos comissionados” a comparecerem ao show de sua noiva e secretária municipal de Ação Social, Taty Dantas, em uma prévia carnavalesca realizada no domingo (17).

Transcrição do trecho da gravação do prefeito a comissionados via WhatsApp:

Eu quero todos os cargos comissionados de frente ao trio, onde vai cantar minha noiva Taty Dantas porque, inclusive, eu vou usar da palavra e falar com o povão. Eu sei que vai ter muita gente de fora. Esse Troinha vai trazer muita gente. Eu quero todos os cargos comissionados. Eu vou fazer um cordão de isolamento ao redor do trio só pra ficar os cargos comissionados… eu vou filmar… eu vou contar todos os cargos comissionados… Depois que ela cantar as músicas dela tá todo mundo liberado. Mas eu quero todo mundo a partir do meio-dia ao redor do trio”.

Leia também
Camaragibe: Meira se envolve em polêmica por pedido a comissionados
Prefeito investigado por mandar funcionários verem show de noiva

Diante da repercussão do caso, um grupo de vereadores da oposição esteve nesta segunda-feira na Promotoria de Camaragibe para pedir uma investigação. Em outro pedido de apuração encaminhado ao MPPE, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) quer saber se foi usado dinheiro público para bancar os shows na prévia carnavalesca. Como o gestor tem foro privilegiado, a Procuradoria Geral de Justiça de Pernambuco vai encabeçar uma investigação por peculato, que é o uso indevido de recursos públicos para patrocinar fins privados e pessoais.

Em entrevista à TV Clube, a promotora de Defesa do Patrimônio Público de Camaragibe, Mariana Vila Nova, que também vai investigar se houve improbidade administrativa por parte da Prefeitura, não escondeu o espanto ao tomar conhecimento do conteúdo das mensagens: “O que mais chama atenção é a coação, inclusive com a ameaçada velada de filmar quem não comparecer à festa. Cargo comissionado é de livre escolha dele, mas não é por isso que dá direito ao prefeito de usar dessas pessoas para fins particulares, para encher o show de uma noiva dele”.

Em nota divulgada neste domingo, a Prefeitura de Camaragibe confirmou os áudios, mas defendeu que não há irregularidade neles: “Em resposta à situação envolvendo o prefeito de Camaragibe, Demóstenes Meira, esclarecemos que o mesmo não forçou nenhum funcionário da Prefeitura de Camaragibe a comparecer ao bloco Canário Elétrico. Na verdade foi feita uma convocação apenas daqueles que ocupam cargos comissionados para apoiar o bloco que é tradicional nas prévias carnavalescas do município. Ressaltamos ainda que o órgão municipal não patrocinou a saída do bloco e nenhum show que acontecerá nele. Apenas foi dado apoio com Guarda Municipal e assistência médica, assim como em todos os outros blocos que sairão na cidade”.

Nomeação da noiva vira notícia
Taty Dantas e o prefeito Demóstenes Meira. Foto: Reprodução

Taty Dantas e o prefeito Demóstenes Meira. Foto: Reprodução

Na semana anterior ao episódio dos áudios, Demóstenes Meira tinha nomeado Taty Dantas para ocupar o cargo de secretária municipal de Ação Social. A prática não é vedada por lei, mas a cantora não possui experiência em gestão social. Demóstenes compareceu à cerimônia de posse da noiva e disse que a companheira vai lutar pela melhoria da população carente.

A secretária, por sua vez, falou de sua origem e não especificou como vai gerenciar a pasta: “Eu venho de uma família humilde e eu sei sim o que é precisar de um gás, de um alimento. Vou dar o melhor de mim, junto com aos vereadores, para formular leis e fazer uma Camaragibe muito melhor”.

A faixa de pedestres confusa
Faixa de pedestres pintada pela Prefeitura de Camaragibe liga calçada a muro. Imagem: facebook Camaragibe Agora

Faixa de pedestres pintada pela Prefeitura de Camaragibe liga calçada a muro. Imagem: facebook Camaragibe Agora

A pintura de uma faixa de pedestres na Rua Manoel Firmino da Rocha, na Vila da Fábrica, foi motivo de chacota nas redes sociais por uma razão simples: a faixa liga a calçada a um muro que, evidentemente, não permite circulação de pessoas. Os moradores foram avisados que a sinalização foi realizada em fevereiro por uma empresa contratada pela Prefeitura para recapear as ruas da região.

Crises na Saúde

As Promotorias de Justiça de Defesa da Saúde e do Patrimônio Público de Camaragibe receberam denúncia sobre a demissão de profissionais das equipes de Saúde da Família. No dia 8 de fevereiro, foi realizada uma reunião na sede das Promotorias de Camaragibe, com as duas promotoras, além de representantes da Prefeitura e vereadores, para debater o tema.

Em abril de 2018, o Sindicato dos Médicos de Pernambuco (Simepe) denunciou que a Prefeitura de Camaragibe cortou salários de médicos, demitiu um pediatra e desfalcou o plantão no Hospital Aristeu Chaves (Cemec Centro) para abrir a unidade de Vera Cruz.

A Prefeitura de Camaragibe, por meio da Secretaria de Saúde, informou à época que o órgão recebeu de R$ 2,6 milhões através de emendas parlamentares para a saúde. Todo este valor está sendo movimentado em melhorias para as unidades especializadas,  na aquisição de viaturas e equipamentos hospitalares.

Em relação aos salários dos profissionais da saúde, o município alega que houve uma equiparação salarial para todos os médicos que desempenham funções semelhantes, já que médicos efetivos ganhavam salários menores do que os contratados e juridicamente essa situação não podia permanecer.

Estrada ilegal em Aldeia
Prefeito Demóstenes Meira (de preto) é flagrado xingando fiscal da CPRH durante fiscalização de obra em Aldeia, Camaragibe. Imagem: Reprodução TV Clube

Prefeito Demóstenes Meira (de preto) é flagrado xingando fiscal da CPRH durante fiscalização de obra em Aldeia, Camaragibe. Imagem: Reprodução TV Clube

Em outubro de 2018 , uma obra de construção de uma estrada no Parque de Aldeia dos Camarás, em Camaragibe, foi considerada ilegal e a Prefeitura foi multada pela Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH). O prefeito Demóstenes Meira compareceu ao local e foi filmado tentando impedir a fiscalização. Bastante alterado, ele deu ordens aos funcionários do município para continuarem a obra e xingou um fiscal da CPRH. O prefeito também foi multado em R$ 10 mil foi ter criado “obstáculos à fiscalização”.

Comentários

OP9

Receba nossa newletter

Com que frequência deseja receber o informativo: