O portal do Sistema Opinião

POP9

Paulista

pe

Polícia investiga morte de mulher por complicações logo após o parto

Familiares afirmam que desde que Fernanda passou mal até a hora da morte se passaram quase oito horas sem que ela fosse transferida para um hospital com mais estrutura

dezembro 5, 2018 às 10:42 - Por: Redação OP9

A delegacia de Paulista, na Região Metropolitana do Recife, está investigando a Clínica Santa Ana, instalada na cidade, após denúncias de negligência feitas por familiares de uma mulher que morreu no estabelecimento poucas horas depois de dar à luz no local. A puérpera, a empresária Fernanda Guedes Nascimento, de 29 anos, estava grávida de 39 semanas, quando deu entrada na unidade, no bairro de Torres Galvão. Uma hora após o parto da terceira filha, em uma cesariana realizada às 11h da terça feira (4), Fernanda, segundo parentes, teria apresentado complicações.

“Ela estava muito pálida e disse que não sentia as pernas, mas achei que era efeito da anestesia”, relatou o marido da empresária, Willian de Souza. Após os sintomas iniciais, Fernanda teria começado a perder muito sangue e sentir fortes dores. De acordo com Willian, enquanto a esposa era examinada, uma enfermeira teria afirmado que se fosse algo grave ela já tinha sido transferida para um hospital maior.

“O plano de saúde dela podia remover pra uma emergência. Somente às 19h eles avisaram que precisavam levá-la para outro hospital”. A esposa do médico que realizou a cesariana chegou a pedir aos familiares de Fernanda que rezassem por ela. Enquanto aguardava a chegada UTI Móvel (UTI), porém, a família foi avisada de que a empresária havia falecido. Ela morreu após uma forte hemorragia seguida de duas paradas cardíacas. No atestado de óbito da paciente, foi apontada como causa da morte uma atonia uterina, que ocorre quando o útero não contrai naturalmente logo após o parto e não tem capacidade de controlar o sangramento. Nesses casos, além do tratamento com medicamentos, também pode ser necessária outra cirurgia de urgência para retirar o órgão e controlar a hemorragia.

A família prestou queixa na Delegacia de Plantão de Paulista alegando negligência médica. Os familiares afirmam que desde que Fernanda passou a se sentir mal até a hora do óbito se passaram quase oito horas. Na madrugada desta quarta-feira (5), a esposa do médico responsável pelo parto se apresentou na delegacia representando a clínica.

A previsão é de que Fernanda seja enterrada às 16h, no Cemitério de Paulista. O bebê, uma menina saudável, passa bem. Além da recém-nascida, Fernanda e William tês duas outras filhas. Procurada pelo OP9, a clínica preferiu não se pronunciar sobre o caso.

Comentários

OP9

Receba nossa newletter

Com que frequência deseja receber o informativo: