O portal do Sistema Opinião

POP9

Investigação

pe

Fisiculturista e amante indiciados por espancamento de idoso

Edylla Katherine de Oliveira Carneiro, esposa de morador do prédio em cuja calçada ocorreu a agressão, foi indiciada por ter incitado o atual namorado a bater em flanelinha

Janeiro 8, 2019 às 13:51 - Por: Redação OP9


Reviravolta no caso da agressão contra um idoso no bairro do Pina, Zona Sul do Recife. A Polícia Civil indiciou por lesão corporal grave a estudante de direito Edylla Katherine de Oliveira Carneiro, de 28 anos, que seria amante do empresário e fisiculturista Bruno Nunes Elihimas, de 35 anos. Bruno foi flagrado por câmeras de segurança do edifício Camilo Castelo Branco, no Pina, Zona Sul do Recife, espancando o flanelinha William José de Souza, de 61 anos, no dia 29 de dezembro.

Para os policiais, Edylla teria incitado o fisiculturista a cometer o crime. Bruno, que estava em liberdade condicional por receptação de um carro roubado e pela venda de anabolizantes, está preso preventivamente no Centro de Triagem de Abreu e Lima (Cotel) desde o dia 31 de dezembro.

Leia também:
Advogado argumenta que agressão de Bruno contra idoso foi “leve”
Namorada de fisiculturista preso pede perdão a idoso espancado
Agressor de idoso passa o réveillon no Cotel. Veja vídeo
Exclusivo: agressor de idoso aparece e diz também ser vítima
Idoso espancado por empresário no Pina cobra prisão do agressor 
Advogado de homem que espancou idoso diz que ele foi provocado
Polícia procura suspeito de agressão contra idoso no Pina 
Câmera flagra violenta agressão contra idoso no Pina

“Nossas investigações apontam que a agressão foi motivada por raiva, após um comentário da vítima falando que o marido de Edylla seria pai e mãe dos filhos do casal. Bruno justificou o espancamento como algo de momento, alegando que o flanelinha teria provocado a perda de um bebê que a amante dele estaria esperando. Mas, para nós, foi um ato pensado de forma deliberada e ela participou como coautora”, conta o delegado Ramon Teixeira, da delegacia de Boa Viagem.

Anteriormente, Edylla chegou a pedir perdão à vítima, que afirma conhecer há dez anos. Foto: PCPE/Reprodução

Anteriormente, Edylla chegou a pedir perdão à vítima, que afirma conhecer há dez anos. Foto: PCPE/Reprodução

Anteriormente, Edylla chegou a pedir perdão à vítima, que afirma conhecer há dez anos. Segundo ela, o idoso foi usado pelo marido dela, morador do prédio em frente ao qual ocorreu a agressão, e incitado a agredi-la, o que teria, na versão dela, provocado o suposto aborto, que nunca foi comprovado. O flanelinha presta pequenos serviços à família e tinha livre acesso à residência do casal.

A estudante também reiterou a versão contada pelo fisiculturista durante entrevista concedida à TV Clube na qual ele afirma ter atacado William motivado por uma briga entre o flanelinha e a estudante ocorrida no dia 25 de dezembro que teria, segundo ele, provocado a interrupção da gravidez. “Ele estava lavando pratos, jogou uma panela em mim e eu tive um pico de pressão. No dia seguinte, tive um aborto”, relata. O filho que ela esperava seria de Bruno. Entretanto, segundo a polícia, não houve comprovação da gravidez nem do aborto que ale alega ter sofrido. Para o delegado do caso, a história foi inventada e seria apenas uma estratégia da defesa do casal.

No vídeo que captou as imagens da agressão, William aparece andando na calçada e levando uma joelhada nas costas aplicada pelo suspeito. O idoso então cai no chão e recebe vários socos e um chute na cabeça, deixando-o inerte. O agressor se sai do local, retorna em seguida e desfere outro soco e mais um chute na vítima, que enfim consegue se levantar e sair do local. Uma grande mancha de sangue pode ser vista na calçada. A vítima sofreu ferimentos no rosto, perdeu vários dentes e precisou ficar internada no Hospital da Restauração, de onde teve alta dois dias depois do espancamento..

Comentários

OP9

Receba nossa newletter

Com que frequência deseja receber o informativo: