O portal do Sistema Opinião

POP9

JESUS NA CAUSA

pe

Cantor que postou comentário sobre peça terá que tocar em festa LGBT

Punição a Gena de Altinho foi homologada pela justiça após o produtor do espetáculo “O Evangelho segundo Jesus, Rainha do Céu”, encenado em Garanhuns após ser retirada da programação do FIG, prestar queixa por ameaça contra comentário do artista nas redes sociais

Maio 24, 2019 às 18:39 - Por:

Um cantor de forró de Garanhuns que foi denunciado após postar um comentário nas redes sociais sobre a peça teatral O Evangelho segundo Jesus, Rainha do Céu terá que tocar gratuitamente em uma festa junina de uma associação que representa travestis e transexuais em Pernambuco. Após uma audiência de conciliação na justiça, Genílson da Silva Melo, 65 anos, conhecido como Gena de Altinho, também aceitou frequentar um curso de formação sobre diversidade sexual e identidade de gênero.

Leia também:
Peça com Jesus trans volta ao FIG com duas apresentações
Justiça determina reinclusão da peça com Jesus trans no FIG
Coletivo lança vaquinha para levar peça com Jesus trans ao FIG
Prefeito veta espaço municipal para peça com Jesus trans no FIG
Após polêmica, Governo decide retirar peça com Jesus trans do FIG

Após comentário nas redes sociais, Gena de Altinho (foto) terá que frequentar curso sobre diversidade sexual e tocar para festa junina organizada por travestis. Foto: reprodução site do artista

Após comentário nas redes sociais, Gena de Altinho (foto) terá que frequentar curso sobre diversidade sexual e tocar para festa junina organizada por travestis. Foto: reprodução site do artista

Os dois compromissos obrigatórios – o curso e o show – vão ocorrer no dia 7 de junho, no Recife. O artista também se comprometeu a publicar um pedido de desculpas nas suas redes sociais, o que já foi feito.

O comentário de Gena foi postado no dia 4 de julho de 2018 no perfil pessoal do Facebook do produtor da peça em Pernambuco, o jornalista e pesquisador Chico Ludermir, que registrou uma queixa-crime contra o cantor na Polícia.

Na ocasião, Ludermir postou um vídeo em que um ator aparece defendendo o espetáculo: “Se vier, leva cacete. Mais de 20.000 pessoas estão aguardando essa peça. Venham que vocês se arrependem”, postou Gena, que apagou o comentário após a advertência do jornalista de levar o caso à Justiça.

O acordo entre as partes foi mediado pelo Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) durante uma audiência no Juizado do Torcedor. A mediação foi realizada para evitar que o impasse se transformasse em uma ação judicial.

Entenda o caso
"O Evangelho segundo Jesus, Rainha do Céu" é um monólogo que mostra Jesus no tempo presente, na pele de uma mulher transgênero. Foto: Reprodução/Facebook

“O Evangelho segundo Jesus, Rainha do Céu” é um monólogo interpretado pela atriz transexual Renata Carvalho (foto) que mostra Jesus no tempo presente, na pele de uma mulher transgênero. Foto: Reprodução/Facebook

A peça estava na programação do Festival de Inverno de Garanhuns (FIG), em julho de 2018, mas foi cancelada pelo governo de Pernambuco em meio a uma sequência de polêmicas. A Prefeitura de Garanhuns cobrou o cancelamento do espetáculo e informou que não cederia o centro cultural da cidade para abrigar a encenação. A Ordem dos Pastores Evangélicos de Garanhuns classificou a peça como “ofensiva aos direitos religiosos”. Por determinação da Justiça, a encenação foi realizada sem a estrutura do FIG em uma casa de eventos da cidade.

A montagem é protagonizada pela atriz transexual Renata Carvalho, que interpreta Jesus Cristo como se ele fosse uma travesti nos dias atuais. Os organizadores afirmam que o espetáculo é respeitoso e que a ideia da encenação é mostrar que Jesus também está presente entre os marginalizados. Escrito pela dramaturga escocesa Jo Clifford, que é transexual, o monólogo já foi encenado em vários países.

Ameaça ou “conselho”?

Gena de Altinho classificou o episódio como um “mal-entendido” e disse que pretendia dar apenas um “conselho” ao produtor da peça. “Ouvi muita gente dizendo que ia meter o cacete se essa peça fosse realizada. O que eu fiz foi dar um conselho. Ele me processou, mas não processou quem realmente fez. Tive que pedir desculpas por uma coisa que eu não fiz porque não queria ter problema com a Justiça. Achei inconveniente, mas vou fazer”, queixou-se.

Jornalista Chico Ludermir (foto), produtor do espetáculo, diz que a ameaça foi clara e que punição ao artista segue lógica pedagógica. Foto: Facebook / Chico Ludermir

Jornalista Chico Ludermir (foto), produtor do espetáculo, diz que a ameaça foi clara e que punição ao artista segue lógica pedagógica. Foto: Facebook / Chico Ludermir

Chico Ludermir, por sua vez, afirma que a postagem do cantor configura uma clara ameaça e que pensou em uma reparação pedagógica para solucionar o conflito. “Em vez de simplesmente pedir a punição dele, queremos com isso que ele repense essa conduta e consiga desfazer preconceito. Tocando e convivendo com essas pessoas, ele vai ver que elas são normais. Com o próprio trabalho, ele (Gena) vai reparar de onde ele tirou: a representatividade das travestis”.

Na tarde do dia 7 de junho, o cantor vai participar de um curso de formação sobre diversidade sexual e identidade de gênero no Centro Estadual de Combate à Homofobia (CECH), no Recife. À noite, ele vai tocar e cantar na programação do São João da Diversidade LGBT, organizado pela Amotrans (Articulação e Movimento para Travestis e Transexuais de Pernambuco), na Rua Mamede Simões, na Boa Vista.

André Duarte

Comentários

OP9

Receba nossa newletter

Com que frequência deseja receber o informativo: