O portal do Sistema Opinião

POP9

Garanhuns

pe

Bombons encontrados com Lucas são “indicativo forte” para a polícia

A reportagem do Cidade Alerta esteve na casa da família de Lucas, encontrado morto em Garanhuns, e conversou com o avô e a avó do garoto

julho 22, 2019 às 20:09 - Por: Redação OP9

Os bombons encontrados nas mãos de Lucas Vinícius, de oito anos, assassinado no bairro de Massaranduba, em Garanhuns, Agreste de Pernambuco, são um “indicativo forte” do crime que chocou parentes e vizinhos, de acordo com o delegado responsável pelo caso, Luiz Bernardo.

Segundo Bernardo, as guloseimas encontradas com Lucas indicam a maneira que atuam pessoas que cometem crimes sexuais contra crianças. No entanto, continua, ainda é prematuro fazer qualquer conclusão. O corpo do garoto foi encontrado num matagal, próximo ao local onde foi visto pela última vez, na tarde de sábado (2).

“Os bombons indicam um modus operandi muito utilizado em violência sexual contra crianças. Ainda é prematuro afirmar, tendo em vista que não se concluiu a perícia que solicitamos nesse sentido. Mas sim, é um indicativo forte de que isso possa ter ocorrido”, explicou em entrevista ao programa Cidade Alerta.

Leia mais:
Menino encontrado morto em Garanhuns é sepultado

O delegado não entra em muitos detalhes sobre linhas de investigação porque os exames realizados pelo IML ainda não estão concluídos. Por isso a polícia não descarta nenhuma hipótese.

Demora

O avô da vítima, Wanderley José Ponte reclama que houve lentidão da polícia para iniciar as buscas. “Praticamente só quem procurou foi a população de Garanhuns. Veio gente até de São João (município vizinho)”, disse.

Luíz Bernardo discorda. Ele contou que todo protocolo adotado em casos de desaparecimento foi seguido à risca desde que a Segunda DP de Garanhuns foi comunicada. “Fizemos o cadastro de desaparecidos e na terça-feira a Segunda DP começou as diligências. O aparecimento do corpo é um avanço nas investigações, mas já sabemos que foi uma morte violenta. Agora temos que aguardar o laudo do IML para saber a causa da morte e se houve outro tipo de violência antes do homicídio”.

A reportagem do Cidade Alerta desta segunda-feira (22) esteve na casa da família e conversou com os avós do garoto. Confira a íntegra do programa:

Comentários

OP9

Receba nossa newletter

Com que frequência deseja receber o informativo: