O portal do Sistema Opinião

POP9

Festa

pe

O bom filho à casa torna. Vídeo mostra mudanças do estádio dos Aflitos

Estádio reabre neste domingo para partida amistosa com time argentino, mas torcida quer ver mesmo é como ficou a reforma

dezembro 15, 2018 às 19:02 - Por: Matheus Rocha

Como um filho pródigo, depois de sete anos em uma terra distante, o Náutico retorna neste domingo (16) à sua casa, o Estádio Eládio de Barros Carvalho. Os Aflitos receberá os saudosos alvirrubros para uma partida amistosa com o time argentino Newell’s Old Boys, às 17h, ainda em processo de reconstrução. Quem for já terá ideia de como ficará o estádio – a estrela principal, mais do que a partida em si, sem contar a abertura com veteranos como Kuki e Acosta – quando a obra estiver concluída. Um privilégio para 19.800 torcedores, a nova capacidade de público.

Leia também:
Papai Noel alvirrubro ganha o presente da volta aos Aflitos
A primeira vez nos Aflitos com o padrão da sorte de Surubim
Uma volta do Náutico aos Aflitos para ser comemorada de camarote

De pronto mesmo, a instalação do gramado e as áreas de serviços (bares e lanchonetes). O sistema de iluminação, alvo de muitas críticas no passado, também passou por reformulação. Segundo a Comissão de Reforma dos Aflitos, a incorporação dos refletores está 90% completada. A parte destinada aos sócios foi ampliada, passando de 1.900 para 3.200, além de contar com uma coberta, que está avançada em 60%. No entanto, o setor que promete integrar o bairro dos Aflitos ao estádio, a Nova Alameda Alvirrubra, ainda segue a passos lentos. Segundo a comissão de reforma, apenas 5% das obras estão concluídas.

O que o torcedor verá no jogo de reabertura dos Aflitos – casa oficial do Náutico desde 1917 – é um estádio modernizado, mas que reúne as condições mínimas para a realização de uma partida profissional de futebol. “Obra não se termina, obra se entrega. Até porque nós temos várias fases. Temos a perspectiva de derrubar a marquise e fazer camarotes, queremos melhorar as cabines de imprensa. Ainda há muito a ser feito. A gente conseguiu agora ficar apto a receber jogo e agora vamos continuar com a obra”, conclui Luiz Felipe Figueredo, presidente da Comissão de Reforma dos Aflitos.

Para proporcionar a tão sonhada volta, o clube apelou para a paixão do torcedor e parceiros comerciais. Através do acordo com empresas, a campanha Voltando pra Casa conseguiu boa parte do aporte financeiro necessário para a reforma. “Investidores colocaram dinheiro na obra e terão retorno pelos produtos ligados a reforma dos Aflitos como a venda de ingressos”, conta Luiz Filipe Figueredo.

A torcida podia – e pôde – contribuir de várias formas. Através do site da campanha era possível adquirir vários planos em troca de brindes. O pacote Capitão custa 10 parcelas de R$ 600 e dava direito a 10 anos de isenção na mensalidade de sócio e cadeira do antigo estádio. Com o pacote Artilheiro (10 vezes de R$ 1.000), como o próprio nome sugere, o torcedor levava uma camisa oficial do Náutico autografada por Kuki e certificado de colaboração. Já o Titular custava dez parcelas de R$ 50 com direito a uma camisa da campanha e certificado de colaboração. O pacote Revelação, mais modesto, entregava uma caneca oficial mais certificado, com o pagamento de 10x de R$ 9,99. O mais modesto é o Escalação, onde bastava uma doação para a campanha para ganhar um copo e certificado digital.

Apenas no primeiro dia de campanha, o clube conseguiu levantar mais de R$ 100 mil. De lá para cá, de acordo com o site oficial da campanha, 2.071 torcedores contribuíram, fazendo com que o Náutico arrecadasse R$ 500.363,46. A estimativa da campanha é que toda a obra custe entre R$ 4,5 milhões a R$ 5,5 milhões. Mesmo após a abertura neste domingo, o estádio ainda continuará em obras.

Iluminação, gramado e área gastronômica

A reforma trocou toda a parte elétrica do estádio, substituindo os nove refletores de luz amarela por 16 refletores de luz branca por poste. A intervenção reforçou a estrutura de sustentação, o alambrado foi trocado por lâminas de vidro. Essa parte contou diretamente com a participação dos torcedores, que poderiam gravar os respectivos nomes no vidro por 12 parcelas de R$ 49,90 (R$ 598,80). O gramado também precisava ser modificado e também contou com o auxílio da torcida, que colocou a mão na massa e realizou o plantio.

O conceito de serviços no estádio também foi um dos pontos alterados. Segundo a comissão da campanha Voltando pra Casa, a área gastronômica do estádio, por exemplo, será modernizada. “Por que melhorar isso? Primeiro para poder trazer mais consumidores ao estádio e para monetizá-lo. Os Aflitos precisava gerar mais dinheiro, mais recursos através de recursos e serviços a serem consumidos dentro dele mesmo”, projeta Luiz Felipe Figueredo.

Comentários

OP9

Receba nossa newletter

Com que frequência deseja receber o informativo: