O portal do Sistema Opinião

POP9

Quadrinhos

pb

Paulo Moreira: o ilustrador paraibano que está conquistando a web

Suas tirinhas, que misturam cultura pop e costumes do Nordeste, estão entre as mais compartilhadas nas redes. O desenhista é uma das atrações do evento Ilustra Plaza, no Recife

Maio 16, 2019 às 16:51 - Por:

Ilustrador e quadrinista Paulo Moreira, no Ilustra Plaza (Renato Mota/OP9)

Ilustrador e quadrinista Paulo Moreira, no Ilustra Plaza (Renato Mota/OP9)

Se você costuma circular pelas redes sociais, certamente já viu – ou recebeu de um amigo – um quadrinho de Paulo Moreira. O ilustrador paraibano é um fenômeno na internet, com suas tirinhas que misturam cultura pop com um toque bem nordestino, que todo mundo se identifica.

Com mais de 60 mil seguidores no Instagram (@paulomoreirap), 63 mil no Twitter (@paulomoreria) e 159 mil curtidas na fanpage do Facebook, Paulo é uma das atrações da  2ª edição do Ilustra Plaza – que acontece de 16 a 19 de maio, no Piso L4, no shopping em Casa Forte, no Recife. Durante horário de funcionamento do Plaza, mais de 20 artistas locais e regionais estarão expondo (e vendendo) seus trabalhos, numa pré-celebração do Dia da Toalha (25). Além das HQs e desenhos, os estandes também vendem miniaturas, bottons, acessórios e tudo mais do universo nerd.

A nordestinidade é um dos traços mais marcantes do trabalho de Paulo. Mesmo quando faz referência à uma série ou filme de sucesso, como Vingadores ou Game of Thrones, a linguagem dos personagens é bem mais próxima da nossa do que o português asséptico que costumamos ver por aí. “Eu gosto de pegar coisas do dia-a-dia da gente, aqui do Nordeste, e também gosto de trabalhar com coisas que eu gosto e consumo. A mistura e sai natural – quando eu faço um quadrinho, não consigo fugir do jeito que a gente fala. Se for para escrever as falas de outro jeito, imitar o jeito de outra pessoa, corretamente, pra mim não fica real”, conta o ilustrador.

Paulo Moreira/Reprodução

Paulo Moreira/Reprodução

O estilo do desenho também é outro elemento que logo pode ser associado ao trabalho de Paulo. Simples, mas cheio de personalidade, os traços têm a versatilidade de compor não só tirinhas rápidas, mas também ilustrações complexas – que até podem não estarem assinadas, mas são inconfundivelmente desenhos do paraibano.

“No começo, quando eu fazia mais encomendas, tentava fazer um traço totalmente realista, de pintura digital, era muito diferente. As tirinhas tinham um traço mais simples porque era um negócio que eu fazia pra mim, e fazia rápido. Pensava numa ideia e tentava desenhar ‘ligêro’, pra botar pra fora logo. Fui desenvolvendo em cima desse estilo, e ele foi meio que engolindo os outros estilos de desenho. Fui me identificando mais com ele, enquanto surgiam mais trabalhos”, lembra.

O talento para desenhar veio cedo, ou como Paulo fala, “derde pirrai”. “Desenhava tudo que via na TV, como Cavaleiros do Zodíaco e Dragon Ball Z, essas coisas tudinho. Só que eu não botava fé de trabalhar com desenho nem nada, era só um hobbie mesmo. Fui ficando mais velho e continuei desenhando, e no ensino médio comecei a pensar em trabalhar com ilustração – o que eu fazia desde sempre”, afirma o paraibano, que tem 26 anos.

Foi no curso de mídias digitais que vieram os primeiros trabalhos profissionais. “Fiz desenho de livro de RPG, caricatura, já trabalhei em estúdio de tatuagem… Aos poucos foi que eu fui fazendo tirinhas, e os amigos foram me incentivando a pegar e postar na internet. Eu fazia, mas sempre achava tudo meio besta demais, que o povo não ia gostar. Em 2016 pra 2017 que eu criei a página no Facebook e comecei a postar lá tudo que eu fazia, tirando onda de série, de filme. Fui pegando o ritmo, gostando do que tava fazendo, e teve um feedback do pessoal que ajudou a ganhar alcance até que ano passado eu tava já publicando meu terceiro quadrinho, a coletânea ‘Mar Menino'”.

Paulo Moreira/Reprodução

Paulo Moreira/Reprodução

Antes de ‘Mar Menino’, Paulo participou da HQ ‘Um Cara Que Caiu do Céu‘, com roteiro de Charlles Lucena e contribuição de vários outros artistas. Em 2017 lançou ‘Operação Dragão Negro‘, já um trabalho autoral, mas bem diferente do estilo das tirinhas que foram copiladas no fim de 2018 em ‘Mar Menino’. Para conseguir chegar nesse ponto, Paulo considera que a internet foi essencial. “Era o único meio que eu tinha pra postar e alcançar a galera. A gente não mora num polo de quadrinhos como São Paulo. A internet é um meio mais fácil de alcançar e conhecer outras pessoas”, avalia o ilustrador, que mora em João Pessoa.

Atualmente, Paulo consegue trabalhar 100% do seu tempo com suas tirinhas e ilustrações próprias. “Da metade do ano passado para cá foi que começou a estourar mesmo, teve um alcance grandes das tirinhas. Com isso veio muita gente pedindo pelo livro e por encomenda de tira. Recentemente fiz um trabalho para o Telecine, que queriam algo a ver com o catálogo de filme que eles têm. Já estou bolando um livro para o final deste ano, pra ver se eu levo para a CCXP (Comic Con Experience, em São Paulo)”.

Ilustra Plaza

Paulo Moreira estará no Shopping Plaza, na Zona Norte do Recife, até domingo. Mas não está sozinho: o evento conta com a participação de roteiristas, desenhistas, arte finalistas, ilustradores e coloristas com diversas temáticas. Gente do calibre de André Balaio (O Recife Assombrado), Aureliano Medeiros (Madame Xanadu e Mercurio Cromo), Juliana Fiorese (Clara Carcosa), Luciano Félix (Wander), Ary Santa Cruz (Mistiras) e muitos outros.

O Ilustra Plaza faz parte da celebração do shopping pelo Dia da Toalha (que alguns desavisados também chamam de “Dia do Orgulho Nerd”), uma data em homenagem ao romancista Douglas Adams, autor de O Guia do Mochileiro das Galáxias.

Renato Mota

Comentários

OP9

Receba nossa newletter

Com que frequência deseja receber o informativo: