O portal do Sistema Opinião

POP9

Inauguração

pb

Passagem de Bolsonaro pela Paraíba vira teste de popularidade

Aplausos e vaias destinadas a políticos locais marcaram a visita do presidente a Campina Grande, onde ele inaugurou um conjunto habitacional

novembro 11, 2019 às 17:16 - Por: Redação OP9

A breve passagem de Jair Bolsonaro (PSL) por Campina Grande, na Paraíba, serviu como termômetro de dois cenários políticos distintos. A popularidade do presidente no Nordeste e a disputa dos grupos políticos locais por visibilidade foram testadas à exaustão durante a cerimônia de entrega das chaves do Complexo Aluízio Campos, realizada na manhã desta segunda-feira (11).

Leia também:
Vencedor em Campina Grande, Bolsonaro diz: “Lula é condenado”
Bolsonaro chega a Campina Grande nesta segunda para entrega de casas
Prefeitura de CG pede ao MEC implantação do Programa Escola Militar
Crianças com microcefalia vão receber pensão do governo federal

Bem recebido durante toda a sua passagem pelo solo paraibano, Bolsonaro foi aplaudido e chamado de “mito” pelos apoiadores. Quando já estava no palanque destinado às autoridades, o presidente só foi ofuscado em alguns momentos pelo ex-senador Cássio Cunha Lima (PSDB), que chegou atrasado foi ovacionado ao entrar no evento pelo acesso destinado ao público.  

Em seu discurso de enaltecimento do povo nordestino, Bolsonaro disse, mais uma vez, que sua família tinha sangue “cabra da peste”, citando a filha e o sogro, que é cearense. Em um intervenção rápida, o presidente compreendeu o cenário de protagonismo de Cunha Lima e soltou a seguinte confidência ao público: “Ele (Cássio) chegou modestamente e queria ficar na segunda fileira. Eu disse, não, fica na primeira fileira e, se não tiver vaga, fica na minha cadeira”, disse o presidente, levantando os braços do ex-senador, para delírio dos presentes. 

Bolsonaro e Cássio Cunha LIma foram ovacionados em inauguração de habitacional em Campina Grande. Foto: Alan Santos / PR

Bolsonaro e Cássio Cunha LIma foram ovacionados em inauguração de habitacional em Campina Grande. Foto: Alan Santos / PR


Pela sua grandiosidade, a ob
ra iniciada em 2015 era encarada como a inauguração de uma ‘cidade dentro de outra cidade’. Beneficiando cerca de 20 mil pessoas, o complexo de 4,1 mil unidades habitacionais é maior do que 80% das cidades paraibanas 

E foi nesse cenário de exaltação a Bolsonaro e a Cunha Lima que a vice-governadora de Paraíba, Lígia Feliciano (PDT), foi alvo de grande hostilidade do público, formado por apoiadores do capitão reformado e por famílias beneficiadas com as unidades habitacionais. Chamada para discursar, a adversária política do ex-senador foi vaiada em vários momentos, a ponto de ter que interromper sua fala. “A grandeza da política é a gente separar a gestão da política. Guerra política não interessa a ninguém. O que importa é a União”, ponderou a vice-governadora, diante de um público contrário a sua presença.   

Jair Bolsonaro participou de cerimônia de entrega das chaves do Complexo Habitacional Aluízio Campos, em Campina Grande. Foto: Alan Santos/PR

Jair Bolsonaro participou de cerimônia de entrega das chaves do Complexo Habitacional Aluízio Campos, em Campina Grande. Foto: Alan Santos/PR

Já o prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues (PSDB), aliado do clã Cunha Lima, foi o que discursou por mais tempo e também foi bastante aplaudido. Em um ato falho de Bolsonaro, o tucano foi chamado de “governador” pelo presidente.  

Também chamada para discursar, a senadora Daniela Ribeiro (PP) preferiu adotar um discurso rápido e apaziguador: Campina está acima de tudo e de todos”, contemporizou.  

Comentários

OP9

Receba nossa newletter

Com que frequência deseja receber o informativo: