O portal do Sistema Opinião

POP9

João Pessoa

pb

Escola onde aconteceram estupros recebe 39 câmeras de segurança

Outra unidade da mesma rede, instalada no bairro dos Bancários também adotou medida semelhante para coibir novos casos

Março 14, 2019 às 18:17 - Por: Redação OP9

A escola instalou 39 câmeras de segurança na unidade onde os abusos aconteceram. Foto: Reprodução/TV Manaíra.

A escola instalou 39 câmeras de segurança na unidade onde os abusos aconteceram. Foto: Reprodução/TV Manaíra.

A escola particular Geo, no bairro de Tambaú, em João Pessoa, instalou, nesta quinta-feira, 39 câmeras de monitoramento nas suas dependências após a descoberta de abusos sexuais praticados por alunos no banheiro da unidade. Outra unidade da mesma instituição, que funciona no bairro dos Bancários, também providenciou a colocação de equipamentos de videomonitoramento. A medida faz parte de solicitações apresentadas pelos pais dos estudantes.

Além da instalação das câmeras, também será providenciada a construção de banheiros privativos. De acordo com o Geo Tambaú, o projeto arquitetônico e orçamentos para a obra deverão ser concluídos até o dia 30 de julho deste ano. A equipe responsável pela ronda escolar também será redimensionada com a ampliação no quadro de funcionários. Outra sugestão dos pais acatada pela unidade de ensino foi a criação de uma Comissão de Pais e a realização de campanhas educativas a serem promovidas a cada bimestre envolvendo responsáveis e estudantes.

Leia também:
Sobe número de vítimas abusadas dentro de banheiro de escola
Zelador participava dos abusos em banheiro de escola, diz delegada
Banheiro de escola era cenário de abusos sexuais em João Pessoa

Vítimas dos abusos sexuais

Ao menos quatro crianças em idades entre 8 e 10 anos foram abusadas sexualmente em um dos banheiros da unidade de ensino por adolescentes de 13, 14 e 17 anos e por um zelador da escola. Os estupros aconteciam no horário das aulas. O segundo pedido de prisão preventiva protocolado pela Promotoria de Justiça Criminal de João Pessoa foi negado pelo juiz da 1ª Vara Criminal da capital. Desde maio de 2018, o agora ex-funcionário cumpria medidas cautelares e se apresentava periodicamente à Justiça. O zelador foi demitido da escola assim que a instituição tomou conhecimento dos abusos. Os adolescentes suspeitos foram encaminhados ao Centro Educacional do Adolescente (CEA), no bairro de Mangabeira.

Pedido de habeas corpus

O advogado dos três adolescentes apreendidos, Aécio Farias, entrou com um pedido de habeas corpus e solicitou à Justiça a antecipação das audiências dos adolescentes, que devem acontecer nos dias 22 e 26 de abril. Segundo Aécio, “não existe uma grande prova”, já que no ano passado as vítimas passaram por exames sexológicos e os resultados para conjunção carnal teriam sido negativos. Um quarto suspeito, também adolescente, continua sendo procurado porque a família mudou de endereço.

Comentários

OP9

Receba nossa newletter

Com que frequência deseja receber o informativo: