O portal do Sistema Opinião

POP9

Cinema

in

Robert Downey Jr. comenta crítica de Scorsese aos filmes da Marvel

“Para mim, isso não é cinema”, disse o diretor de O Touro Indomável, na semana passada. “Precisamos ter opiniões diversas para seguir adiante”, respondeu o ator, que fez o Homem de Ferro nos cinemas: “Ele é Martin Scorsese, não precisa disso”

outubro 8, 2019 às 15:04 - Por: Ubiratan Brasil (Agência Estado)

Robert Downey Jr. em "Vingadores: Guerra Infinita" (Marvel Studios/Divulgação)

Robert Downey Jr. em “Vingadores: Guerra Infinita” (Marvel Studios/Divulgação)

As críticas feitas pelo cineasta Martin Scorsese contra os filmes produzidos pela Marvel (“Para mim, isso não é cinema”, disse o diretor de O Touro Indomável, na semana passada) ganharam novo round. O ator Robert Downey Jr., que encarna um dos mais queridos super-heróis do cinema moderno (o Homem de Ferro), rebateu o comentário em entrevista a uma rádio americana

“É a opinião dele. Isso (os filmes da Marvel) é exibido nos cinemas. Respeito a opinião dele como a de qualquer pessoa”, disse Downey Jr. ao programa de rádio comandado por Howard Stern, em Nova York, segundo noticiou o site Comic Book. O ator buscou medir as palavras para não criar um confronto com Scorsese, aclamado como um dos principais diretores cinematográficos da atualidade.

Leia também:
Scorsese detona filmes da Marvel: “Eu não os vejo. Isso não é cinema”

“Precisamos ter opiniões diversas para seguir adiante”, continuou o ator, descartando uma suspeita de que Scorsese teria ficado enciumado com o lucro gerado pelos filmes de super-heróis “Ele é Martin Scorsese, não precisa disso. Na verdade, ainda há muito o que se dizer sobre se esse gênero desmerece a arte do cinema.”

Em entrevista à revista britânica Empire, Scorsese foi taxativo: “não os vejo os filmes da Marvel como cinema. Tentei, sabia? Mas isso não é cinema. Honestamente, o mais perto que posso estar deles, por mais bem feitos que sejam, com atores que fazem o melhor possível nessas circunstâncias, são os parques temáticos”, brincou o diretor de 76 anos, ignorando os 23 longas já financiados pela Marvel.

“Não é o cinema de seres humanos que tenta transmitir experiências emocionais e psicológicas a outro ser humano”, continuou ele, aparentemente sem se importar com a imensa lucratividade que filmes da Marvel, DC e outros proporcionam à indústria. Vingadores – Ultimato, por exemplo, tornou-se o maior sucesso de bilheteria da história, ao somar mais de US$ 2,79 bilhões, em julho passado.

Comentários

OP9

Receba nossa newletter

Com que frequência deseja receber o informativo: