O portal do Sistema Opinião

POP9

CRISE

br

“Fui demitido pelo Carlos”, diz Gustavo Bebianno em entrevista

Segundo Bebianno, Carlos tem um “nível de agressividade acima do normal” e teria “inflado a cabeça do pai” contra ele

Fevereiro 19, 2019 às 21:37 - Por: Agência Estado

Ex-ministro Gustavo Bebianno. Foto: Marcello Casal jr/Agência Brasil

Ex-ministro Gustavo Bebianno. Foto: Marcello Casal jr/Agência Brasil

O ex-ministro Gustavo Bebianno afirmou em entrevista à Jovem Pan que o presidente Jair Bolsonaro falha em relação ao comportamento “agressivo” do filho, o vereador Carlos Bolsonaro. Segundo Bebianno, Carlos tem um “nível de agressividade acima do normal” e teria “inflado a cabeça do pai” contra ele. “Fui demitido pelo Carlos”, disse.

Leia também:
Bolsonaro negou conversas, mas WhatsApp de Bebianno desmente
Após demissão, Jair Bolsonaro sugere trégua a Bebianno
Em vídeo, Bolsonaro fala em questões “mal entendidas” com Bebianno
Governo oficializa exoneração do ministro Gustavo Bebianno
Gustavo Bebianno afirma que está recebendo ameaças

“Como todo ser humano, ele (Jair Bolsonaro) é falível. E existe uma falha no que diz respeito ao comportamento do Carlos. Na minha opinião o presidente tinha que dar um basta nisso. Se fosse meu filho estaria preocupado, porque ele coleciona inimigos”, disse.

Um desentendimento público entre Bebianno e o filho do presidente culminou na demissão do ministro ontem. Carlos chamou Bebianno de mentiroso após o ex-ministro ter falado que conversou com o presidente e ter negado uma crise interna. Ele é suspeito de estar envolvido em suposto esquema de laranjas do PSL em Pernambuco.

“O presidente passou por um pós-operatório difícil. Só o fato de estar trancado no hospital, não é agradável. Várias informações chegaram a ele de forma truncada, acredito que Carlos tenha inflado a cabeça do pai”, afirmou, completando que a indisposição entre os dois começou ainda durante a transição, no CCBB (Centro Cultural Banco do Brasil, em Brasília, que recebeu o governo durante período de transição).

Bebianno adotou um tom ameno em relação ao chefe do Executivo e afirmou que “Jair Bolsonaro continua sendo o meu presidente, tem o meu afeto, o meu amor”. A amenização teria sido combinada na demissão. Ontem, o presidente também adotou um tom elogioso para anunciar, em um vídeo publicado nas redes sociais, a demissão de Bebianno.

Comentários

OP9

Receba nossa newletter

Com que frequência deseja receber o informativo: