O portal do Sistema Opinião

POP9

LUTO

br

Empresa que levava Boechat não tinha autorização para táxi aéreo

Piloto Ronaldo Quattrucci, vítima da queda da aeronave ao lado do jornalista Ricardo Boechat, era sócio-proprietário da empresa

Fevereiro 11, 2019 às 19:14 - Por: Agência Estado e Agência Brasil

Foto: Twitter/Reprodução

Foto: Twitter/Reprodução

A empresa proprietária do helicóptero que caiu nesta segunda-feira, 11, em São Paulo, não tinha autorização para realizar transporte de passageiros remunerado. Em 2018, a RQ Helicópteros foi multada em R$ 8 mil por um processo aberto em 2011 pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). O piloto Ronaldo Quattrucci, vítima da queda da aeronave ao lado do jornalista Ricardo Boechat, era sócio-proprietário da empresa, sediada em Santana de Parnaíba, na região metropolitana. O corpo do jornalista Ricardo Boechat será velado a partir das 22h desta segunda (11), no Museu da Imagem e do Som (MIS), no bairro Jardim Europa, na capital paulista. O local estará aberto ao público. O velório segue até as 14h desta terça-feira (12). A Band não divulgou o local do sepultamento, que será em cerimônia reservada para a família.

Leia também:
Sistema Opinião lamenta perda de Boechat, um jornalista combativo
“Pior dia da minha vida”, escreveu esposa de Boechat no Instagram
Anac vai investigar causas do acidente que matou Boechat
Planalto: “Boechat foi um dos principais profissionais da imprensa”
Jornalista Ricardo Boechat morre em acidente de helicóptero em SP

Após a queda desta segunda-feira, a Anac abrirá um procedimento administrativo para “apurar o tipo de transporte que estava sendo realizado no momento do acidente”. “A empresa possui autorização da ANAC para prestar Serviços Aéreos Especializados (SAE), que incluem aerofotografia, aeroreportagem, aerofilmagem, entre outros do mesmo ramo. (…). Qualquer outra atividade remunerada fora das mencionadas não poderia ser prestada”, diz em nota.

O processo foi aberto por “promoção de propaganda irregular de serviços de voos panorâmicos remunerados” em um site, embora fosse autorizada apenas para realizar “serviços aéreos de aerofotografia, aeroreportagem e aerocinematografia”. Mesmo a decisão, a empresa continua anunciando os serviços de táxi aéreo e voos panorâmicos em seu site.

Além disso, o processo relata que uma das aeronaves da empresa foi flagrada realizando voos panorâmicos “utilizando aeronave inadequada e sem autorização da autoridade de aviação civil” . “A RQ Serviços Aéreos Ltda não é uma empresa certificada e autorizada a realizar serviços aéreos de transporte de passageiros”, diz a decisão. O jornal O Estado de S. Paulo tentou entrar em contato com a RQ Helicópteros, mas não obteve retorno.

Helicóptero estava regular, diz Anac

Ainda segundo a Anac, a aeronave que caiu estava em situação regular, com estava com o Certificado de Aeronavegabilidade (CA) válido até maio de 2023 e a Inspeção Anual de Manutenção (IAM) em dia até maio de 2019. O helicóptero, de matrícula PT-HPG, foi fabricado pela Bell Helicopter.

Por meio de nota, a TAM Aviação Executiva, representante de vendas da Bell no Brasil desde 2004 disse que a empresa já enviou uma equipe para o local da queda. “Sobre o acidente do helicóptero Bell 206 Jet Ranger, ocorrido hoje (…), fomos informados pela Bell que seu funcionário, representante técnico no Brasil, foi acionado para ir ao local do acidente e colaborar com o CENIPA para a investigação. Qualquer questionamento adicional deve ser encaminhado ao referido órgão (CENIPA).”

Ainda de acordo com a Anac, Ronaldo Quatrucci estava com as licenças e habilitações de piloto comercial de helicóptero (PCH) válidas. “As investigações sobre as causas do acidente estão sendo conduzidas pelo Quarto Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (SERIPA IV), órgão regional do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (CENIPA), do Comando da Aeronáutica”, diz em nota.

O helicóptero voltava de Campinas, onde Boechat tinha ido dar uma palestra no Centro de Convenções do Royal Palm Plaza para 2,7 mil pessoas. O evento era promovido pela empresa farmacêutica Libbs, que seria a responsável pelo transporte. Procurada, a empresa disse que se posicionaria em breve.

Comentários

OP9

Receba nossa newletter

Com que frequência deseja receber o informativo: