O portal do Sistema Opinião

POP9

Sujou

rn

Operação Máfia Capital prende empresários em Mossoró e Recife

Investigação sobre indícios de corrupção no contrato de coleta de lixo em Caicó é baseada em delação premiada firmada com o MPRN e homologados pela Justiça potiguar

Maio 14, 2019 às 17:29 - Por: Everton Dantas

Operação Máfia capital cumpriu mandados no RN, em Pernambuco e em São Paulo. Foto: MPRN/Divulgação

Operação Máfia capital cumpriu mandados no RN, em Pernambuco e em São Paulo. Foto: MPRN/Divulgação

Os empresários Clélio José de Sena Filho, de Mossoró; Luiz Guilherme Salzano Leite, de Recife (PE); e o ex-secretário municipal de Infraestrutura e Serviços Urbanos Abdon Augusto Maynard Júnior foram os três presos na operação Máfia Capital, nesta terça-feira (14).

De acordo com o Ministério Público do Rio Grande do Norte, há indícios de que os três participaram de esquema de corrupção visando fraudar o contrato de coleta de lixo na cidade de Caicó, que fica a 382 quilômetros da capital do RN.

Leia também:
Operação Máfia Capital cumpre mandados no RN e em Pernambuco
Prefeito de Caicó é liberado após quase dois meses de prisão
TJRN manda soltar prefeito e vereador que estavam presos
Prefeito de Caicó é denunciado por corrupção e associação criminosa
Prefeito de Caicó é preso suspeito de lavagem de dinheiro

De acordo com as investigações, Abdon Augusto Maynard Júnior teria direcionado as licitações e contratos, além de solicitar e receber propina para isso. Clélio José de Sena Filho teria pago propina a Abdon Maynard com o objetivo de ser contratado emergencialmente para a coleta de lixo em Caicó. Ele foi preso preventivamente em Mossoró.

O terceiro preso, Luiz Guilherme Salzano Leite, é sócios da empresa Viacon Construções e Montagens Ltda, com sede no Recife. Segundo os promotores á frente da investigação, a Viacon foi contratada emergencialmente para coleta de lixo em Caicó.

De acordo com o que já foi investigado, a empresa pagaria propina por cada nota fiscal emitida pela Secretaria de Infraestrutura e Serviços Urbanos de Caicó. O secretário era Abdon Maynard.

No entendimento do MPRN, Luiz Salzano Leite “se associou à organização criminosa para dilapidar o patrimônio público e se enriquecer ilicitamente”. A prisão dele é temporária, de cinco dias; podendo ser prorrogada por mais cinco.

Para o Ministério Público RN “os investigados são membros de uma complexa e bem estruturada organização criminosa, cujos líderes são empresários (núcleo empresarial) responsáveis por um grupo de empresas”.

“Agindo em típica atividade de cartel, acertando e superfaturando preços, e pagando vantagens econômicas indevidas (propina) a funcionários públicos (núcleo administrativo), (eles) lograram contratar indevidamente com o Poder Público Municipal, às custas de licitações indevidamente dispensadas e/ou fraudadas”.

Máfia Capital é resultado de outras três operações

A operação Máfia capital é um desdobramento de outras três promovidas no Rio Grande do Norte. A principal delas é a Cidade Luz, deflagrada em 2017, para investigar irregularidades no contrato de iluminação pública da Prefeitura de Natal.

As outras duas foram batizadas de Blackout e Tubérculo, ambas para apurar fraudes no contrato de iluminação pública da Prefeitura de Caicó.

A operação Máfia Capital foi deflagrada com o apoio da Polícia Militar potiguar e do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) dos Ministérios Públicos de São Paulo e de Pernambuco.

Ao todo, 15 promotores de Justiça, 16 servidores do MPRN e 60 policiais militares cumpriram os mandados de prisão e de busca e apreensão nas cidades de Caicó, Mossoró, Recife, Jaboatão dos Guararapes e São Paulo.

Comentários

OP9

Receba nossa newletter

Com que frequência deseja receber o informativo: