O portal do Sistema Opinião

POP9

Informação

rn

Novo portal de transparência no RN será lançado quinta-feira (8)

Novo site corrige falhas e detalha ainda mais as informações com relação às receitas e às despesas, com atualização diária e possibilidade de exportar dados

agosto 6, 2019 às 21:29 - Por: Everton Dantas

Novo portal de transparência do RN expõe gastos por área, com a possibilidade de detalhá-los. Foto: Reprodução

Novo portal de transparência do RN expõe gastos por área, com a possibilidade de detalhá-los. Foto: Reprodução

O governo do Rio Grande do Norte gastou até julho de 2019 R$ 500 milhões com educação; R$ 385,9 milhões com saúde; e R$ 365,2 milhões com segurança. Essas informações bem como todas outras referentes a gastos diretos e receitas agora ficarão acessíveis, a partir de quinta-feira (8).

A data marca o lançamento do novo portal de transparência do governo do RN. A principal diferença para o antigo portal é logo de cara poder visualizar esses gastos. E inclusive pedir detalhamento com relação a isso.

Leia também:
RN é um dos quatro estados no Brasil que segue descumprindo a LRF
Governo do RN vai lançar novo portal da transparência em abril

De acordo com o controlador-geral do estado, Pedro Lopes de Araújo Neto, a ideia é ser o máximo transparente. Todo o processo de modernização do portal foi coordenado pela Controladoria-Geral junto à equipe de informática da secretaria de Administração.

Por ter sido feito pelos próprios servidores, o novo portal teve custo zero. Uma outra vantagem é que o site mantém seus dados abertos. Isso significa que qualquer um poderá fazer uma pesquisa, exportar as informações e construir novas análises.

Um exemplo: é possível exportar os valores referentes a gastos diretos, aplicá-los numa tabela e identificar que o maior gasto desse tipo até julho foi com pagamento de “Aposentadorias do RPPS, Reserva Remunerada e Reformas dos Militares”. O total foi de R$ 1,5 bilhão.

Novo layout permite pedir o detalhamento dos dados e exportação das informações. Foto: Reprodução

Novo layout permite pedir o detalhamento dos dados e exportação das informações. Foto: Reprodução

É possível ainda verificar que também até julho o total de gastos diretos foi de R$ 4,6 bilhões. E que as receitas brutas (também até julho) somaram R$ 6,4 bilhões. Em meio a isso, o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) gerou R$ 2,3 bilhões.

O portal é atualizado diariamente com os dados do Sistema Integrado de Planejamento e Gestão Fiscal (SIGEF), de onde são extraídas as informações sobre a execução financeira. Já os dados sobre diárias são obtidos a partir do “Sistema de Acompanhamento de Diárias”.

O controlador-geral aponta que o principal ganho dessa nova versão é o grau de confiabilidade dos dados. “Na versão anterior, devido inúmeros problemas de desenvolvimento, concepção e migração do sistema financeiro, ocorrido em 2018, os dados apresentados eram instáveis e nem sempre fidedignos aos números da contabilidade, ou seja, os números ‘não batiam’”, disse.

Até quinta-feira, dia do lançamento, o novo site ainda passará por correções e aprimoramentos. A partir do lançamento ele funcionará o endereço onde hoje está hospedado o antigo portal, no endereço http://www.transparencia.rn.gov.br/.

Governo fará oficina para detalhar uso do novo portal da transparência

Dia 15 de agosto, das 9h às 13h, haverá uma oficina na Escola de Governo para apresentar o novo layout e ensinar o passo-a-passo para navegação no novo site. Essa atividade é aberta a qualquer pessoa e gratuita.

A meta para os próximos meses é melhorar a produção de relatórios gerenciais. “A ideia é que qualquer pessoa, sem especialidade em contabilidade pública, compreenda as finanças do Governo do RN”, comentou.

Ainda com relação ao portal antigo foi corrigido a falta de algumas informações, como repasses a municípios. Sem isso, de acordo com a Controladoria, o surgimento de erros referentes às finanças estaduais eram possíveis.

Exemplo disso foi a informação sobre “sobra de caixa de R$ 1,4 bilhão” que circulou inclusive na Assembleia Legislativa. De acordo com Pedro Lopes Araujo, isso foi gerado pelos problemas de informação do antigo portal.

Comentários

OP9

Receba nossa newletter

Com que frequência deseja receber o informativo: