O portal do Sistema Opinião

POP9

Cortes

rn

Gastos com imóveis, mão-de-obra e veículos no RN serão reavaliados

Controladoria-geral do estado cria grupos de trabalho para avaliar quanto é gasto com locação e o que pode ser feito para reduzir despesas com prédios, terceirizados e carros

Abril 16, 2019 às 20:30 - Por: Everton Dantas

 Gastos com imóveis, mão-de-obra e veículos no RN representaram R$ 306 milhões em 2018. Foto: Marcos Santos/USP Imagens

Gastos com imóveis, mão-de-obra e veículos no RN representaram R$ 306 milhões em 2018. Foto: Marcos Santos/USP Imagens

Os gastos com locação de imóveis, de mão-de-obra e de veículos promovidos pelo governo do RN são o mais novo alvo na política de cortes de gastos que tem à frente a Controladoria-geral do estado. Para isso foram criados três grupos de trabalho que terão 90 dias para “avaliar sob o aspecto da economicidade” os gastos com carros, prédios e terceirizados.

A ideia é obter uma estratégia que reduza essas despesas e gere para o governo mais economia. De acordo com o controlador-geral do RN, Pedro Lopes de Araújo Neto, esses gastos em 2018 alcançaram o total de R$ 306 milhões. “O propósito do estudo é reavaliar o modelo de funcionamento do Estado com vistas a entregar, no mínimo, o mesmo resultado à população, com o menor custo possível”, disse.

Leia também:
Nos 100 dias, Fátima Bezerra prevê economia de R$ 155,9 milhões
Auditorias em contratos no RN devem gerar economia de R$ 80 milhões

Ele citou como exemplo os gastos com veículos. “O governo gastou R$ 37 milhões locando veículos no ano passado, mas neste ano já entregamos muitos carros que julgamos serem desnecessários. Agora, se mantivermos a política de locação, podemos gastar cerca de R$ 100 milhões até 2022. Então buscaremos a resposta se não é melhor comprar os veículos”, explicou.

Se essa projeção for alcançada, somente com locação de veículos, a economia será de R$ 48 milhões. Segundo Pedro Lopes de Araújo, pode ser que os resultados dos estudos direcionem o governo para novas políticas de funcionamento.

De acordo com as portarias publicadas nesta terça-feira (16) no Diário Oficial do Estado, os estudos deverão ficar prontos em julho. Todos os três grupos de trabalho tem os mesmos quatro integrantes. Pela portaria – que também é assinada pelo secretário de Planejamento, José Aldemir Freire – os servidores têm plenos poderes para requerer informações a todos os órgãos da administração direta e indireta.

Comentários

OP9

Receba nossa newletter

Com que frequência deseja receber o informativo: