O portal do Sistema Opinião

POP9

Memória

rn

Deputado do RN diz “desconhecer” sua assinatura na CPI da Lava Jato

Beto Rosado (PP) afirma que “caso a CPI se mantenha desta forma” vai pedir retirada de assinatura, algo que segundo a Mesa da Câmara não pode ser feito após a publicação

setembro 15, 2019 às 11:09 - Por: Everton Dantas

Postagem de Beto Rosado esclarecendo "desconhecer" sua assinatura na CPI da Lava Jato. Foto: Reprodução/Instagram Beto Rosado

Postagem de Beto Rosado esclarecendo “desconhecer” sua assinatura na CPI da Lava Jato. Foto: Reprodução/Instagram Beto Rosado

Oficialmente, de acordo com documento da Câmara dos Deputados, apenas dois parlamentares do Rio Grande do Norte assinaram o requerimento para a criação da “CPI da Lava Jato”: Natália Bonavides (PT) e Beto Rosado (PP).

Mas um deles, o deputado, usou seu Instagram, no sábado (14), para fazer um esclarecimento público sobre o assunto. “Meus amigos, desconheço ter assinado a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Lava-Jato”, afirmou.

Leia também:
Aliados de Moro tentam impedir instalação de CPI da Lava Jato
Deputado do PP tenta explicar voto a favor da reforma da previdência

O documento que traz assinatura do deputado é oficial e lista ele como sendo uma das 175 assinaturas confirmadas. O documento traz a informação de que 9 não conferem e que 29 foram repetidas; mostra de que houve uma checagem por parte da Mesa. 

Na postagem de Beto Rosado, ele dá a entender que sua assinatura teria sido dada a um requerimento com outro objetivo. “O teor da CPI foi alterado sem aviso prévio”, afirma. E acrescenta: “Caso a CPI se mantenha desta forma irei apresentar à Secretaria Geral da Mesa, na próxima segunda-feira (16), um requerimento para a retirada da minha assinatura.”

O deputado finalizou dizendo ser apoiador da Lava Jato. “E a toda e qualquer investigação que tem como princípio o combate à corrupção. Também sou a favor de que se investigue de maneira geral a invasão de privacidade feita por hackers.”

Beto Rosado não está sozinho nessa intenção de tentar retirar seu nome do requerimento, algo que de acordo com a Secretaria-Geral da Mesa, não é possível de ser feito depois que é publicado o requerimento para a instalação de uma CPI.

Outros três deputados, Lucas Vergílio (SD-GO), Alexis Fonteyne (Novo-SP) e Sóstenes Cavalcante (DEM-RJ) também querem sair. Eles alegam que não sabiam do foco da CPI na atuação de Moro e de integrantes da Lava Jato.

De acordo com reportagem do jornal Estado de São Paulo, as retiradas fazem parte de estratégia de aliados do ministro Sergio Moro, para impedir a instalação da CPI. Ao mesmo tempo que parlamentares têm ligado para colegas pedindo que retirem as assinaturas, há uma outra manobra em andamento.

Ver esta publicação no Instagram

#Esclarecimento Meus amigos, desconheço ter assinado a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Lava-Jato que visa investigar suposta articulação entre o ministro Sergio Moro e membros da Procuradoria da República no Paraná, tornada pública pelo site The Intercept, no mês de junho deste ano. O teor da CPI foi alterado sem aviso prévio. Caso a CPI se mantenha desta forma irei apresentar à Secretaria Geral da Mesa, na próxima segunda-feira (16), um requerimento para a retirada da minha assinatura. Aproveito para reiterar o apoio total à Lava Jato e a toda e qualquer investigação que tem como princípio o combate à corrupção. Também sou a favor de que se investigue de maneira geral a invasão de privacidade feita por hackers.

Uma publicação partilhada por Beto Rosado (@beto.rosado) a

Retiradas de assinatura faria parte de estratégia para impedir a CPI da Lava Jato

Apoiadores de Moro tentam construir um entendimento que torne possível uma exceção para conseguir a retirada de nomes. Eles avaliam que o presidente Rodrigo Maia (DEM-RJ), poderia autorizar as mudanças. Técnicos da Casa, no entanto, dizem que isso não é possível.

Cabe a Rodrigo Maia decidir pela abertura ou não, a depender da análise sobre os requisitos legais – existência de fato determinado e de relevante interesse público que justifique a instalação da CPI. De acordo com Capitão Augusto, ele se reunirá com Maia na próxima semana e irá pedir para que o presidente respeite a vontade dos parlamentares.

Mesmo que Beto e os outros três consigam a retirada, ainda haverá 171 assinaturas, o mínimo necessário para que a CPI seja aberta. Para que a Comissão seja criada, o requerimento – apresentado quinta-feira (112) precisa ser lido em Plenário.

O pedido de CPI é encabeçado pelos deputados líderes André Figueiredo (PDT-CE), Alessandro Molon (PSB-RJ – Oposição), Ivan Valente (Psol-SP), Jandira Feghali (PCdoB-RJ – Minoria); Paulo Pimenta (PT-RS); Tadeu Alencar (PSB-PE); e Daniel Almeida (PCdoB-BA).

Confira o documento que atesta a assinatura dos deputados na CPI da Lava Jato.

Comentários

OP9

Receba nossa newletter

Com que frequência deseja receber o informativo: