O portal do Sistema Opinião

POP9

Homenagem

rn

Comenda Marielle Franco é criada na Câmara Municipal de Natal

Vereadora assassinada em março agora terá seu nome usado para reconhecer o trabalho de mulheres na luta pelos direitos humanos em Natal

Abril 18, 2019 às 11:20 - Por: Everton Dantas

Comenda Marielle Franco foi proposta pelo vereador Raniere Barbosa (c). Foto: Vlademir Alexandre

Comenda Marielle Franco foi proposta pelo vereador Raniere Barbosa, ao centro. Foto: Vlademir Alexandre

A vereadora Marielle Franco foi homenageada na Câmara Municipal de Natal com a criação de uma comenda que leva o seu nome. A ideia foi do vereador Raniere Barbosa (Avante) e tem o objetivo de homenagear mulheres que se destaquem na luta pelos direitos humanos. A aprovação desta homenagem aconteceu nesta quarta-feia (17).

O autor da homenagem disse que direitos humanos são constitucionais e essenciais para uma vida digna. “Aproveitamos, também, para enaltecer a vida, a coragem e o amor, que são as marcas da mulher incrível que foi Marielle; defensora dos direitos humanos, que se dedicou a construir um mundo mais justo”, argumentou.

Leia também:
Acusados de matar Marielle Franco são transferidos para Mossoró-RN
Um ano depois do crime, série de atos homenageia Marielle e Anderson

A vereadora Divaneide Basílio (PT), que subscreveu a homenagem, disse que o assassinato da vereadora carioca é um alerta sobre a violência da qual são vítimas as mulheres. “Marielle, mulher negra, lésbica, com origem na favela, era voz daquelas que não são ouvidas nos espaços de poder. Ela era um corpo incômodo, que expunha o caráter sexista e racista de muitas instituições”, afirmou.

Marielle Franco foi assassinada no Rio de Janeiro dia 14 de março de 2018 logo após sair da Câmara municipal daquela cidade. Nesse episódio também foi morto o motorista que trabalhava com ela, Anderson Gomes. A morte da parlamentar teria sido motivada pela atuação na defesa dos direitos humanos.

Eles foram executados numa ação promovida por dois ex-policiais militares que supostamente têm ligação com milícias no Rio de Janeiro. Marielle combatia a atuação desses grupos criminosos. Ronnie Lessa, de 48 anos, e Elcio Vieira de Queiroz, 46, estão presos no presídio federal do Mossoró como suspeitos pelo crime. Lessa teria atirado enquanto Elcio dirigia o carro. A investigação segue, mas ainda não responder a principal pergunta: quem mandou matar Marielle?

Comentários

OP9

Receba nossa newletter

Com que frequência deseja receber o informativo: