O portal do Sistema Opinião

POP9

Negócios

rn

Agenda internacional do Consórcio Nordeste começará pela Alemanha

Governadores tiveram reunião específica com representantes do governo alemão e empresários que participam em Natal do Encontro Econômico Brasil- Alemanha

setembro 17, 2019 às 10:01 - Por: Everton Dantas

Reunião com empresários alemães ajudou a definir agenda internacional do Consórcio Nordeste. Foto: Elisa Elsie/GovRN

Reunião com empresários alemães ajudou a definir agenda internacional do Consórcio Nordeste. Foto: Elisa Elsie/GovRN

A Alemanha será o primeiro país a ser visitado pelos representantes do governos nordestinos dentro da agenda internacional que o Consórcio Nordeste pretende realizar em novembro. A informação foi dada pela governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra (PT).

A definição do país como primeiro local a ser visitado foi impulsionada pelo fato de Natal sediar no mesmo dia da reunião do Consórcio um outro evento: o Encontro Econômico Brasil-Alemanha. Alguns dos governadores chegaram pela manhã para participar do EEBA.

Leia também:
Consórcio Nordeste apresenta resultados da reunião em Natal. Assista
No RN, Consórcio Nordeste discutirá tributos, concessões e Petrobras

Após a abertura, Fátima Bezerra, Rui Costa (PT-BA) e Wellingnton Dias (PT-PI) acompanhados de alguns secretários, tiveram reunião com representantes do governo e empresários da Alemanha. De acordo com o governador Rui Costa (BA), essa reunião foi específica “com representantes do governo alemão para discutir investimentos e montar a nossa agenda”.

De acordo com ele, que preside o Consórcio Nordeste, a viagem deve acontecer na segunda quinzena de novembro. “O encontro (Brasil – Alemanha) foi extraordinário e mostra a nossa caminhada no sentido de fortalecer o Consórcio como ferramenta de gestão e como ferramenta de compartilhamento de boas práticas”, disse.

Além da Alemanha, os representantes do Consórcio Nordeste também pretende visitar a Espanha, a Itália e a França. Também está nos planos dos governadores tentar fazer negócio com a China, a Coreia e a Rússia.

Comentários

OP9

Receba nossa newletter

Com que frequência deseja receber o informativo: