O portal do Sistema Opinião

POP9

Esclarecimento

br

STF dá 15 dias para Bolsonaro explicar fala sobre pai de presidente da OAB

Prazo atende a uma ação protocolada pelo advogado Felipe Santa Cruz, que alega que o presidente da República pode ter cometido calúnia contra os mortos na ditadura e injúria contra ele

agosto 2, 2019 às 15:49 - Por:

Após repercussão, Bolsonaro disse que Fernando Santa Cruz teria morrido em um "justiçamento". Foto: Antonio Cruz/ Agência Brasil

Após repercussão, Bolsonaro disse que Fernando Santa Cruz teria morrido em um “justiçamento”. Foto: Antonio Cruz/ Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro terá 15 dias para explicar sua declaração sobre o pai do presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) desaparecido durante o regime militar. O prazo foi estabelecido em despacho do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luís Roberto Barroso, atendendo a uma ação protocolada pelo advogado Felipe Santa Cruz.

Na segunda-feira (29), o chefe do Executivo Federal disse, em entrevista a jornalistas, que contaria ao presidente da OAB como o pai dele desapareceu. A fala seria para criticar a atuação da entidade nas investigações do caso Adélio Bispo, autor do ataque contra o chefe do Planalto. “Um dia se o presidente da OAB [Felipe Santa Cruz] quiser saber como é que o pai dele desapareceu no período militar, eu conto para ele. Ele não vai querer ouvir a verdade. Eu conto para ele”, disse Bolsonaro.

Leia também:
Presidente da OAB aciona STF contra falas de Bolsonaro sobre pai
Ao comentar falas de Bolsonaro, Ministro do STF sugere mordaça para presidente
“É de se estranhar tal comportamento em um cristão”, diz presidente da OAB sobre Bolsonaro
Em crítica, Bolsonaro cita pai de presidente da OAB desaparecido durante a ditadura

A fala ganhou repercussão e horas depois Bolsonaro fez uma live no Facebook enquanto cortava o cabelo. No vídeo, ele sugere que grupos de esquerda teriam assassinado Fernando Santa Cruz em uma espécie de “justiçamento”.

Para Felipe Santa Cruz a fala do presidente da República pode caracterizar calúnia contra os mortos na ditadura e injúria contra ele. Segundo o advogado, quando Bolsonaro insinuou que o seu pai não foi vítima de desaparecimento forçado pelo regime ditatorial estaria escondendo informações ou divulgando informações falsas.

Rebeca Silva

Comentários

OP9

Receba nossa newletter

Com que frequência deseja receber o informativo: