O portal do Sistema Opinião

POP9

Queda de braço

pe

Prefeitura e Senac disputam terreno de alto valor comercial em Prazeres

Espaço havia sido doado pelo governo municipal em 2012 para construção de uma escola de educação profissional, mas a cessão foi revogada pelo prefeito Anderson Ferreira (PR)

Abril 12, 2019 às 17:08 - Por:

No terreno funcionava a Escola Municipal Visconde Suassuna, em Jaboatão. Foto: Divulgação

No terreno funcionava a Escola Municipal Visconde Suassuna, em Jaboatão. Foto: Divulgação

A disputa entre a Prefeitura de Jaboatão dos Guararapes e o Senac por um terreno de 8 mil metros quadrados em área privilegiada de Prazeres, pode ir parar na Justiça. O espaço, onde já funcionou a Escola Municipal Visconde de Suassuna, na Travessa Coronel Basgal, havia sido doado à entidade pelo município em 2012 para construção de uma escola de educação profissional.

A cessão era válida por 30 anos, podendo ser prorrogada pelo mesmo período. No entanto, após cerca de sete anos sem nenhuma obra, o atual prefeito Anderson Ferreira (PR) decidiu revogar a transferência. Nesta sexta-feira (12), a prefeitura entrou no local e realizou serviços de capinação e limpeza.

Ao saber da ação do Executivo, a diretora Regional do Senac Pernambuco, Valéria Peregrino, disse que pretende tentar todos os recursos para reaver a área. Ela reclama de que não houve nenhuma conversa anterior sobre o assunto e alega que o Senac está de posse do contrato de cessão.

Senac iria investir R$ 15 milhões na escola de educação profissional, em Jaboatão. Foto: Divulgação

Senac iria investir R$ 15 milhões na escola de educação profissional, em Jaboatão. Foto: Divulgação

Valéria explicou que a instituição iria investir R$ 15 milhões na escola, que atenderia 2 mil alunos por mês. A unidade teria 12 salas de aula e laboratórios para oferecer capacitação inicial e ensino superior. “Fomos pegos de surpresa porque já iriamos começar as obras. Já investimos R$ 1 milhão em projetos. Pagamos as taxas e só nesta semana soubemos que havia sido indeferida”, afirmou.

Questionada sobre o porquê em quase sete anos não foi iniciada nenhuma construção, a diretora afirmou que de 2012 a 2014 o Senac precisou aguardar uma mudança burocrática na metragem do terreno. Depois disso foi feita uma licitação para obra, mas ela foi impugnada e precisou esperar decisões favoráveis nas justiças estadual e federal.

Prefeitura de Jaboatão realizou serviços de capinação e limpeza no terreno. Foto: Divulgação

Prefeitura de Jaboatão realizou serviços de capinação e limpeza no terreno. Foto: Divulgação

Para a Prefeitura de Jaboatão, entretanto, o local estava abandonado. Legalmente a prefeitura pode, por critério de conveniência e oportunidade, revogar a cessão feita anteriormente. “O Senac, além de não ter feito uso, deixou de realizar a devida manutenção, e, hoje, o prédio encontra-se completamente deteriorado. Não há mais cobertura na quadra de esportes, faltam portas nas salas e há danos latentes na estrutura”, informou em nota.

O governo informou que ainda vai avaliar qual será a nova finalidade do terreno enquanto o Senac ainda tem esperanças de reaver o espaço.

Rebeca Silva

Comentários

OP9

Receba nossa newletter

Com que frequência deseja receber o informativo: