O portal do Sistema Opinião

POP9

Impeachment

pe

Prefeito pede à Justiça para anular processo de cassação na Câmara

Julgamento do impeachment de Demóstenes Meira está previsto para ocorrer nesta quinta-feira (23)

Maio 22, 2019 às 17:29 - Por:

Prefeito Demóstenes Meira aparece em um novo áudio polêmico. Foto: Reprodução/Facebook

Prefeito Demóstenes Meira aparece em um novo áudio polêmico. Foto: Reprodução/Facebook

O prefeito de Camaragibe, Demóstenes Meira (PTB), entrou com um mandado de segurança na Justiça para anular o processo de impeachment que enfrenta na Câmara de Vereadores. O julgamento que pode culminar na cassação de Meira está previsto para ser julgado nesta quinta-feira (23).

Segundo o Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), a ação tramita na 2ª Vara Cível de Camaragibe e está sendo analisada. Não há previsão de quando sairá uma decisão.

Ao Judiciário, o petebista argumenta que houve irregularidades durante a instauração do processo que contou com cinco votos favoráveis, quatro contra e quatro abstenções.

Leia também:
Prefeito intimado para depor no Draco e vereador dá parecer pela cassação
TCE suspende contrato de quase dois milhões da Prefeitura de Camaragibe
Prefeitura de Camaragibe é investigada por suposta contratação de empresa fantasma
Draco investiga novo áudio em que prefeito negocia dinheiro e cargos
Secretário de Camaragibe afastado em operação contra corrupção
Camaragibe: Meira se envolve em polêmica por pedido a comissionados
Camaragibe: verba pública custeia viagens de prefeito e noiva a SP

Segundo ele, quando a denúncia foi recebida, no dia 26 de fevereiro deste ano, não havia quorum qualificado- a presença de 2/3 dos parlamentares. Ele alega ainda que a condução dos trabalhos legislativos foi feita em desacordo com o regimento e houve colheita irregular de voto.

A sessão que acatou a denúncia de improbidade administrativa contra o prefeito foi muito tumulada e quase não ocorreu. Na ocasião, o placar desfavorável a Meira foi possível porque após uma rápida reunião com o procurador jurídico da casa foi decidido que o presidente da Câmara, vereador Toninho (PTB), responsável pela apresentação das denúncias, tinha direito a voto. Assim, a denúncia foi acatada.

Meira é alvo de dezenas de inquéritos por suposta prática de corrupção. Nesta semana, ele foi intimado pelo Draco para esclarecer pontos obscuros que levam a Polícia Civil a crer que há um esquema criminoso que teria desviado cerca de R$ 30 milhões dos cofres da prefeitura.

Rebeca Silva

Comentários

OP9

Receba nossa newletter

Com que frequência deseja receber o informativo: