O portal do Sistema Opinião

POP9

Varredura

pe

Prefeita em exercício de Camaragibe exonera 410 servidores

Segundo Nadegi Queiroz (DC), medida foi tomada após um pente-fino nas contas do município, que identificou supostos funcionários fantasmas

julho 4, 2019 às 15:11 - Por:

Prefeita em exercício, Nadegi Queiroz, assumiu o governo de Camaragibe após a prisão do prefeito Demóstenes Meira. Foto: Jorge Talmon/TV Clube

Prefeita em exercício, Nadegi Queiroz, assumiu o governo de Camaragibe após a prisão do prefeito Demóstenes Meira. Foto: Jorge Talmon/TV Clube

Após exonerar os secretários da Prefeitura de Camaragibe, a prefeita em exercício, Nadegi Queiroz (DC), anunciou nesta quinta-feira (4) a saída de mais 410 comissionados e contratados. A medida foi tomada após um pente-fino nas contas do município, que identificou supostos funcionários fantasmas. Cerca de um milhão de reais será economizado com as demissões.

De acordo com Nadegi, a auditoria verificou ainda que o município gastava 58% da receita corrente líquida com a folha de pessoal. O limite definido pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) seria 51% da receita. Até junho deste ano, o quadro da prefeitura registrava 3.312 servidores.

Entre os afastados, dois bailarinos que se apresentavam em shows da noiva do prefeito Demóstenes Meira (PTB), Taty Dantas. Eles, que eram muito próximos à cantora, estavam lotados na Secretaria de Esportes e Lazer.

A prefeita falou ainda que o governo não têm dinheiro para pagar a primeira parcela do décimo terceiro salário, nem para fazer os repasses previdenciários referente a maio. Também está em débito com fornecedores e bancos. A dívida giram em torno de R$ 11,8 milhões.

Leia também:
Camaragibe: verba pública custeia viagens de prefeito e noiva a SP
Prefeito de Camaragibe preso em operação da Polícia Civil de PE
Coaf: 128 depósitos atípicos na conta do prefeito de Camaragibe
STJ nega segredo de justiça ao processo do prefeito de Camaragibe

Após a prisão do prefeito Demóstenes Meira, Nadegi afirmou ter encontrado apenas R$ 3,8 milhões em caixa. Demóstenes foi preso no dia 20 de junho suspeito de lavagem de dinheiro e corrupção. Ele é apontado pela polícia como líder de um esquema criminoso que teria desviado cerca de R$ 60 milhões dos cofres públicos.

Rebeca Silva

Comentários

OP9

Receba nossa newletter

Com que frequência deseja receber o informativo: