O portal do Sistema Opinião

POP9

Obras

pe

João da Costa faz “mea-culpa” e diz querer se reunir com defensores do Estelita

Embora tenha aprovado o Projeto Novo Recife na época em que foi prefeito, João da Costa disse que áreas semelhantes ao Cais José Estelita podem ser protegidas na revisão do Plano Diretor

Março 25, 2019 às 14:49 - Por:

João da Costa disse que Projeto Novo Recife não é ilegal. Foto: Léo Caldas/Divulgação

João da Costa disse que Projeto Novo Recife não é ilegal. Foto: Léo Caldas/Divulgação

Depois de aprovar o Projeto Novo Recife no apagar das luzes do fim de sua gestão, em 2012, o vereador e ex-prefeito do Recife, João da Costa (PT), disse que quer ir à mesa com vereadores e movimentos para discutir áreas semelhantes ao Cais José Estelita que podem ser protegidas pelo novo Plano Diretor a ser votado na Câmara de Vereadores.

Sem querer entrar em detalhes e numa espécie até de mea-culpa, o petista disse que na época em que era prefeito “não poderia fazer o que ele queria, tinha que fazer o que estava na lei”, que segundo ele, era favorável às construtoras.

Leia também:
Ocupe Estelita ressurge e pede apoio contra provável demolição
Armazéns do Cais José Estelita voltam a ser demolidos no Recife

Ao ser questionado sobre o que achava da construção das torres no local, ele disse que não tem conhecimento do projeto atual. “Faz sete anos que fui prefeito. Nesse período houve muitas idas e vindas do projeto e a atual gestão de Geraldo Julio já não aprovou o mesmo projeto. Ele foi modificado”, tergiversou João da Costa.

Para ele, no entanto, as obras não são ilegais. “Os movimentos podem achar que não é legítimo, mas não tem ilegalidade nenhuma. São visões diferentes da cidade, das quais algumas eu comungo”, falou sem detalhar quais e acrescentou: “Como prefeito eu nunca poderia me postergar contra o que está na lei. Na época eu não poderia fazer o que eu queria, tinha que fazer o que estava na lei”.

Em relação a possíveis mudanças no Plano Diretor que possam impactar no Projeto Novo Recife, João da Costa disse que a nova lei não deve mexer com essa questão. A Casa José Mariano discutirá em seis audiências públicas a revisão do plano, que rege a política de planejamento e gestão urbana e ambiental nos próximos 10 anos. Depois, abrirá o prazo para emendas (possibilidade de alterar) ao projeto apresentado pela Prefeitura do Recife.

“Não faço parte da comissão que discute o plano, mas vou participar das audiências. Conversei com o vereador Ivan Moraes e vamos discutir com os movimentos as propostas de emendas. Essa será a chance de colocar em proteção outras áreas semelhantes ao Estelita”, concluiu o petista.

Integrantes do Ocupe Estelita fizeram um protesto no Cais Estelita. Foto: André Duarte/OP9

Integrantes do Ocupe Estelita fizeram um protesto no Cais Estelita. Foto: André Duarte/OP9

Novo Recife foi aprovado em reunião a portas fechadas três dias antes do fim da gestão de João da Costa

Embora tenha evitado comentar sobre a demolição do Novo Recife, a gestão de João da Costa foi o primeiro passo para o início das obras no Cais José Estelita. A três dias de sair do comando da prefeitura, o petista conseguiu cassar a liminar da Justiça da 7ª Vara da Fazenda Pública que proibia a votação no Conselho de Desenvolvimento Urbano e convocou uma reunião relâmpago para aprovação do empreendimento.

A área do Cais Estelita oi arrematada em um leilão em 2008. A compra se tornou polêmica porque terreno teria sido adquirido por um preço inferior ao de mercado em cerca de R$ 10 milhões.

Rebeca Silva

Comentários

OP9

Receba nossa newletter

Com que frequência deseja receber o informativo: