O portal do Sistema Opinião

POP9

Homenagem

pe

Após articular aprovação de cargos no TJPE, Eriberto Medeiros recebe medalha

Presidente da Assembleia Legislativa do Estado recebeu a mais alta condecoração da Justiça Pernambucana

julho 18, 2019 às 18:22 - Por:

Eriberto Medeiros foi agraciado com a Medalha do Mérito Judiciário Desembargador Joaquim Nunes Machado. Foto: Jarbas Araújo/Alepe

Eriberto Medeiros foi agraciado com a Medalha do Mérito Judiciário Desembargador Joaquim Nunes Machado. Foto: Jarbas Araújo/Alepe

Responsável por acelerar a votação da polêmica criação de cerca 240 cargos comissionados no Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), o presidente da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), Eriberto Medeiros (PP) foi agraciado com a mais alta condecoração da Justiça pernambucana: a Medalha do Mérito Judiciário Desembargador Joaquim Nunes Machado.

De acordo com a resolução do TJPE, a insignia é destinada a homenagear pessoas físicas ou jurídicas, nacionais ou estrangeiras, que tenham se distinguido pelos relevantes serviços prestados à causa da Justiça ou pelos seus méritos excepcionais no campo do Judiciário.

Leia também:
Projeto que cria mais de 240 cargos comissionados no TJPE vira lei
Concursados e entidades estudam acionar o CNJ para barrar cargos comissionados do TJPE
Juiz defende que comissionados trarão economia de recursos ao TJPE
Deputados aprovam projetos do TJPE que criam mais de 240 cargos comissionados
Apesar do concurso, TJPE quer criar 216 cargos comissionados

Insígnia concedida a Eriberto Medeiros é destinada a homenagear pessoas físicas ou jurídicas, nacionais ou estrangeiras, que tenham se distinguido pelos relevantes serviços prestados à causa da Justiça. Foto: Reprodução

Insígnia concedida a Eriberto Medeiros é destinada a homenagear pessoas físicas ou jurídicas, nacionais ou estrangeiras, que tenham se distinguido pelos relevantes serviços prestados à causa da Justiça. Foto: Reprodução

O ato de concessão foi publicado no Diário Oficial desta quinta-feira (18), mas a escolha foi feita em sessão extraordinário do tribunal, realizada no dia 8 de julho, nove dias após a criação dos cargos comissionados terem virado lei. Eriberto Medeiros promulgou os projetos uma semana após ser discutida e aprovada na Assembleia em dois dias.

A promulgação deveria ter levado pelo menos 15 dias para acontecer, mas o prazo foi encurtado. Na época, o legislativo informou que o governador teria devolvido os projetos sem qualquer veto, o que implicou sanção tácita.

Rebeca Silva

Comentários

OP9

Receba nossa newletter

Com que frequência deseja receber o informativo: