O portal do Sistema Opinião

POP9

Dinheiro

pe

13º do Bolsa Família pernambucano começa a ser pago em 2020

Previsão foi dada pelo governador Paulo Câmara (PSB) nesta quinta-feira durante o lançamento do benefício no Centro de Convenções, em Olinda

Abril 4, 2019 às 16:13 - Por:

Previsão para pagamento do 13º do Bolsa Família foi dada pelo governador Paulo Câmara. Foto: Hélia Scheppa/Divulgação

Previsão para pagamento do 13º do Bolsa Família foi dada pelo governador Paulo Câmara. Foto: Hélia Scheppa/Divulgação

Embora muitos cadastrados do Bolsa Família em Pernambuco já estejam ansiosos pelo prometido 13º do programa, os usuários vão ter que esperar um pouco mais para ter o dinheiro em mãos. A verba começará a ser paga apenas em 2020. A previsão foi dada pelo governador Paulo Câmara (PSB) nesta quinta-feira (4) durante o lançamento do benefício, no Centro de Convenções, em Olinda. 

Os pagamentos serão efetuados nos meses de março, fevereiro e abril. O beneficiário que recebe no bolsa R$ 150 ou mais, receberá o mesmo valor. Quem ganha menos terá assegurada a mesma quantia como décimo. Na prática: alguém que recebe R$ 120 mensalmente, por exemplo, ganha o mesmo valor como 13º. 

Mas ainda é possível receber o valor máximo caso o usuário apresente uma nota fiscal com gastos em itens da cesta básica durante um ano inteiro. Para gerar os créditos e ter direito à restituição, o beneficiário deverá informar o seu CPF ao realizar a compra para que ele seja incluído na Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica (NFC-e).

Leia também:
Deputados aprovam projeto que irá financiar 13º do Bolsa Família
Paulo e Armando disputam proposta do 13º do Bolsa Família

Entre os produtos que geram créditos, estão feijão, arroz, açúcar, carne, charque, tilápia, sardinha em lata, frango, ovos, sal, manteiga, leite em pó, café, farinha de mandioca, fubá, óleo de soja, papel higiênico e sabão em tablete. No fim do ano será feita uma contagem e quem tiver comprado R$ 1 mil durante o ano poderá aumentar seu benefício até o limite de R$ 150.

Para o governador, a medida é uma forma de fazer transferência de renda às famílias mais carentes e, ao mesmo tempo, movimentar a economia. “Será importante para melhoria da condições de vida e diminuição das desigualdades sociais”, acrescentou. Os recursos virão dos cofres do estado e uma parte dele já está previsto no orçamento.

Rebeca Silva

Comentários

OP9

Receba nossa newletter

Com que frequência deseja receber o informativo: