O portal do Sistema Opinião

POP9

Causa da morte

rn

Morte do torcedor do Botafogo-PB foi provocada por lesão corporal

Diretor do Itep confirma que Eduardo Feliciano teve rompimento de artéria e hemorragia. O exame toxicológico ainda não foi concluído pela perícia

agosto 12, 2019 às 11:38 - Por:

Marcos Brandão, diretor do ITEP, confirmou que morte do torcedor do Botafogo-PB foi provocada por lesão corporal. Foto: Divulgação

Marcos Brandão, diretor do ITEP, confirmou que morte do torcedor do Botafogo-PB foi provocada por lesão corporal. Foto: Divulgação

O diretor do Instituto Técnico-Científico de Perícia do Rio Grande do Norte (Itep), Marcos Brandão, disse ao repórter Rogério Fernandes, da TV Ponta Negra, que a morte de Eduardo Feliciano, torcedor do Botafogo da Paraíba, foi provocada por lesão corporal.

“Na necrópsia foi verificado que o coração tinha uma laceração muito grande que levou a uma parada cardíaca. A causa da morte realmente foi lesões corporais que levaram ao trauma cardíaco que levou a vitima a óbito. Foram solicitados outros exames complementares, exames de dosagem alcoólica, toxicológicos para verificar se realmente existem indícios que a vitima tinha usado droga, a quantidade dessa droga para verificar a circunstância que aconteceu  essa situação de lesão corporal. Então todos exames quando saírem os resultados, demora um pouco, vai para laboratório, mas quando tiver esses resultados se fecha todas as circunstância  que foram determinantes para ocasionar a morte da vitima, mas de modo imediato, pelo laudo necroscópico se pode determinar realmente que foram lesões corporais que provocaram essa ruptura dos músculo cardíaco”.

Leia também:
Policia investiga morte de torcedor do Botafogo-PB em invasão no Barrettão
Torcedor do Botafogo-PB morre após confronto no Barrettão
Corpo de torcedor do Botafogo-PB é velado nesta segunda-feira

A lesão rompeu a artéria cardíaca, o que causou hemorragia. O exame toxicológico ainda não foi concluído pela perícia.

A Polícia Militar vai instaurar inquérito administrativo para apurar se houve excesso dos policiais que estavam na ocorrência, no momento em que torcedores do Belo pularam o muro e invadiram o estádio Barrettão em Ceará-Mirim, onde jogaram Globo x Botafogo, pela Série C do Brasileiro.

Quando houve a invasão, a Polícia Militar usou balas de borracha e spray de pimenta para dispersar os torcedores, e segundo relatos feito pelas redes sociais feitos já no sábado à noite “houve envolvimento da polícia” na morte de Eduardo Feliciano.

O Itep tem 30 dias para a conclusão do laudo que vai apurar se Eduardo Feliciano havia feito uso de drogas e álcool, mas já derrubou a primeira informação que a morte teria sido provocada por overdose.

Marcos Lopes

Comentários

OP9

Receba nossa newletter

Com que frequência deseja receber o informativo: