O portal do Sistema Opinião

POP9

Fair play

rn

CBF e clubes definem modelo de fair play financeiro para 2020

Grupo de estudos vem trabalhando no modelo que será implementado a partir do ano que vem, inicialmente nas Séries A e B

agosto 23, 2019 às 16:39 - Por:

Reunião na CBF define modelo de fair play financeiro para 2020. Foto: Thais Magalhães

Reunião na CBF define modelo de fair play financeiro para 2020. Foto: Thais Magalhães

Após reuniões entre representantes da CBF, dos clubes brasileiros e da Ernst & Young, foi finalizado o modelo de fair play financeiro para 2020, inicialmente para as Séries A e B.

Estiveram presentes o Diretor de Registro, Transferência e Licenciamento da CBF, Reynaldo Buzzoni, e o Gerente de Licenciamento da CBF, Ênio Gualberto. Economista e consultor especializado em esportes, César Grafietti compôs o debate com executivos da Ernst & Young e de membros da Associação dos Diretores Financeiros dos Clubes da Série A (executivos de São Paulo, Flamengo, Palmeiras e Internacional representaram todos os times).

Leia também:
FNF traz Marcelo Sant’Ana para palestra e consultoria

Compreendendo a dimensão e as características únicas do futebol brasileiro, o modelo de fair play financeiro será implementado gradativamente ao longo dos próximos quatro anos, como destacou Buzzoni:

” O resultado do trabalho é um documento robusto, que será a base do trabalho nos próximos anos. O Fair Play Financeiro é um ponto fundamental para a evolução do futebol brasileiro e crucial para o licenciamento dos clubes. Será um processo gradual, com informação, orientação e, posteriormente, punições”

A partir de 2020, os clubes passarão a ter alguns objetivos:

1- As dívidas não podem ser maiores do que as de hoje

2- Ter controle de suas dívidas;

3- Ter controle de gastos em relação ao ganho;

4-  Fazer com que o controle de déficit seja pequeno.

Após a implementação, as penas iniciais seriam leves para que os clubes possam se adaptar às novas regras. Nos anos seguintes, o modelo de fair play financeiro passaria a ter castigos mais severos, como o clube ser impedido de contratar ou participar de torneios.

Marcos Lopes

Comentários

OP9

Receba nossa newletter

Com que frequência deseja receber o informativo: