O portal do Sistema Opinião

POP9

Esportes

rn

Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem confirma que volante Joílson usou cocaína

Agora é oficial, e volante Joílson está suspenso provisoriamente por uso de cocaína, segundo ABCD

Abril 30, 2019 às 14:09 - Por:

Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem confirma que volante Joílson usou cocaína. Foto: Andre Torres

Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem confirma que volante Joílson usou cocaína. Foto: Andre Torres

Lista publicada no site da Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem, relaciona os nomes de atletas com suspensão provisória imposta. Todos  notificados pela ABCD, nos termos do artigo  157 do Código Brasileiro Antidopagem.

Na lista aparece o nome do volante Joilson Evangelista dos Santos, do ABC, e a confirmação oficial do que todos já sabia: cocaine metabolite benzoylecgonine , cocaína.

O material foi coletado no dia 27 de janeiro de 2019 na partida Altos x ABC, pela Copa do Nordeste e não pela Copa Verde, como consta na lista da ABCD.

Leia também:

As estreia de ABC e Globo no Brasileiro da Série C

Joilson está internado em uma clinica para recuperação de dependentes químicos e vai permanecer lá por pelo menos 90 dias, tendo acompanhamento médico e psicológico.

Quando julgado, o jovem volante deve pegar uma pena de no mínimo um ano de suspensão, sem poder jogar futebol.

Chances desperdiçadas

Joílson tem 21 anos e passagens pelas categorias de base do Vitória, Cruzeiro de Minas  e Palmeiras. O bom desempenho nas bases do clube paulista levou o defensor a ser convocado pela Seleção Brasileira Sub-20.

Antes de chegar ao ABC, jogou no  CSA, Bahia e Santa Rita de Alagoas, clube que detém os direitos do jogador.

Dependência química

O uso de drogas  que causam alguma alteração no funcionamento cérebro, é tão antigo quanto os seres humanos. A droga foi usada no início das civilizações por razões religiosas e em um segundo momento como uma fonte de prazer.

Drogas como o álcool, a maconha ou a cocaína, produzem efeitos por vezes agradáveis e por vezes desagradáveis. Elas sempre causam alterações no cérebro e com isso uma mudança das funções psicológicas, como a atenção, a memória, a percepção sensorial ou a forma de se relacionar com o mundo.

O uso de drogas não é algo tão comum como se pensa. No mundo entre 3 e 6% das pessoas consumem drogas. Quem usa a droga é impulsionado pela curiosidade, a vontade de pertencer a um grupo, pela busca de um prazer imediato ou alívio, entre outras razões. Contudo, quem muitas das pessoas que utilizam drogas desconhecem seus efeitos colaterais e, por vezes, acabam se colocando em risco ou colocando outras pessoas em risco.

Algumas pessoas falam de uso seguro de drogas. Sabe-se, no entanto, que todas as drogas podem causar danos no cérebro e outras partes do corpo. Há também o risco de dependência. O desenvolvimento da dependência depende de alguns fatores controláveis como o tipo de droga, o acesso a ela, a exposição precoce e/ou repetida, e fatores sociais; e não controláveis como a vulnerabilidade genética, doenças psiquiátricas, fragilidades pessoais.

Dados do Conselho Regional de Referência em Drogas da UFMG

Marcos Lopes

Comentários

OP9

Receba nossa newletter

Com que frequência deseja receber o informativo: