O portal do Sistema Opinião

POP9

Especial

al

Rodrigo Cunha, de advogado em busca de justiça a senador mais votado

A história de Rodrigo Cunha na política alagoana se mistura com o assassinato da deputada federal Ceci Cunha e do comerciante Juvenal Cunha quando ele tinha apenas 17 anos

dezembro 28, 2018 às 10:47 - Por:

Arte: Keops Ferraz/OP9

Arte: Keops Ferraz/OP9

Aos 37 anos de idade, Rodrigo Cunha (PSDB) foi nas eleições de 2018 o candidato que ninguém apostou, até ver que o jogo estava virando. Ao final da campanha eleitoral, as pesquisas de intenções de votos já mostravam que ele não só venceria o pleito para senador como seria o mais votado no estado de Alagoas. E assim foi. Mais de 680 mil alagoanos acreditaram na sua política de renovação e o fizeram sair na frente de caciques da política estadual como Benedito de Lira, Maurício Quintella e o próprio senador Renan Calheiros, que renovou o mandato, mas em segundo lugar.

Clique aqui para ver a história de outros personagens de 2018 do Nordeste

A história de Rodrigo Cunha na política alagoana se mistura com o assassinato de seus pais, a médica e deputada federal Ceci Cunha e o comerciante Juvenal Cunha. Ambos foram mortos em 1998 na Gruta de Lourdes, em Maceió, durante o que ficou conhecido como a “Chacina da Gruta”. Rodrigo tinha apenas 17 anos. No mesmo episódio, mais dois parentes do futuro senador foram mortos a tiros. O crime foi encomendado pelo primeiro suplente de Ceci Cunha, Talvane Albuquerque, que ansiava a vaga conquistada pela deputada eleita para o seu segundo mandato.

Rodrigo Cunha formou-se em direito em 2005 e lutou por mais de uma década para que os responsáveis pelo assassinato de seus familiares fossem penalizados. As investigações precisaram ser federalizadas para que isso ocorresse. Os assassinos foram julgados e condenados em segunda instância a 100 anos de prisão. Neste período, o advogado Rodrigo Cunha já havia conquistado cargos relevantes à frente do Procon-AL, onde se destacou. Em 2008, ele foi à Câmara Federal para relembrar os 10 anos do crime e cobrar pela condenação, que veio somente em 2012.

Ele entrou para o legislativo estadual em  2014 como o mais votado de Alagoas. Em suas palestras, Rodrigo Cunha costuma dizer que o fato ocorrido com seus pais motivou a sua entrada para a política. Como deputado estadual, Cunha ganhou notoriedade por defender a transparência das contas públicas e das ações políticas no estado. Também defendia o engajamento da população para a aprovação dos projetos da Assembleia Legislativa.

Agora, ele sai da Casa de Tavares Bastos e vai direto a Brasília depois de campanha isolada, sem dividir palanques com os grandes nomes da política, sem declarar votos e nem receber apoio dos tradicionais. Nessa empreitada, ganhou destaque e teve seu nome na boca do povo, consolidando sua campanha ao longo dos dias. “Hoje posso dizer que encontrei meu propósito de vida. Quero fazer com que esse estado melhore, que as pessoas acreditem no seu potencial, que exijam qualidade dos serviços públicos e possam melhorar de vida”, afirmou o senador depois da diplomação.

Mariane Rodrigues

Comentários

OP9

Receba nossa newletter

Com que frequência deseja receber o informativo: