O portal do Sistema Opinião

POP9

Homicídio

al

Irmãos Boiadeiro têm pedido de liberdade negado pela Justiça

Eles foram condenados no dia 5 de fevereiro por homicídio qualificado e por tentativa de homicídio

Fevereiro 21, 2019 às 15:28 - Por: Redação OP9

Irmãos Boiadeiro foram condenados em julgamento no dia 5 de fevereiro. Foto: Ascom MPE

Irmãos Boiadeiro foram condenados em julgamento no dia 5 de fevereiro. Foto: Ascom MPE

Os irmãos Boiadeiro, condenados por homicídio qualificado e por tentativa de homicídio, tiveram o pedido de liberdade negado pelo desembargador Washington Luiz Damasceno Freitas, do Tribunal de Justiça de Alagoas (TJAL). José Anselmo Cavalcanti de Melo, conhecido como Pretinho Boiadeiro, foi condenado a 58 anos e quatro meses de reclusão, em regime fechado. Já o irmão dele, José Márcio Cavalcanti de Melo (Baixinho Boiadeiro) recebeu a pena de 45 anos e dez meses de reclusão. O julgamento aconteceu no último dia 5 de fevereiro.

Leia também:
Irmãos Boiadeiro condenados a mais de 40 anos por duplo homicídio
Durante júri popular, Baixinho Boiadeiro é preso por outra morte
Boiadeiros julgados por duplo homicídio 13 anos após o crime
Justiça nega liberdade a acusado de participar da morte de vereador
PC conclui inquérito da morte de Boiadeiro sem apontar mandante
Suspeitos na morte de Neguinho Boiadeiro pedem investigação federal
Irmão de Baixinho Boiadeiro é preso com arma de fogo dentro de casa

O terceiro réu do processo, Thiago Ferreira dos Santos, conhecido como Pé de Ferro, recebeu a pena de 58 anos e quatro meses de reclusão, também em regime fechado.

A defesa dos irmãos e de Thiago Ferreira impetrou habeas corpus com pedido liminar, contra a decisão que estabeleceu o regime fechado para o cumprimento das penas. Alegou ser incoerente submeter os pacientes aos rigores do regime fechado, negando-lhes o direito de responder em liberdade.

De acordo com o desembargador, a decisão que estabeleceu o regime fechado foi devidamente fundamentada na garantia da ordem pública e na gravidade dos delitos praticados pelos réus.

Os três foram condenados pela morte de Edivaldo Joaquim de Matos e de Samuel Theomar Bezerra Cavalcante Júnior, além da tentativa de homicídio contra Theobaldo Cavalcante Lins Neto, em maio de 2006. O júri popular ocorreu no Fórum da Capital.

Comentários

OP9

Receba nossa newletter

Com que frequência deseja receber o informativo: