O portal do Sistema Opinião

POP9

Meio ambiente

al

Depois do Peba, massunins mortos aos milhares surgem em Maragogi

Para biólogo e pesquisador da Ufal, aparecimento destes mariscos sem vida na areia da praia não pode ser considerado normal

novembro 5, 2019 às 15:59 - Por:

Milhares de massunins mortos cobriram a Praia de São Bento na cidade de Maragogi, Litoral Norte de Alagoas, na manhã desta terça-feira (5). Um vídeo que mostra os mariscos tomando a areia volta a chamar a atenção dos ambientalistas, que não podem confirmar a relação entre as mortes e o surgimento do óleo no litoral do Nordeste, mas afirmam que o fenômeno pode sim estar sendo causado pelo petróleo.

Leia também:
Grande quantidade de massunins mortos toma a areia do Pontal do Peba
Praias de Alagoas têm mais de duas mil toneladas de óleo retiradas
Alagoas ganha centro de limpeza para animais atingidos pelo óleo
Óleo invade Rio Manguaba e destrói estuário de ostras

Nas redes sociais as pessoas relacionam a mortandade com a contaminação pelo piche, já que os massunins filtram a água para se alimentar. O biólogo e pesquisador da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), Cláudio Sampaio, o aparecimento dos mariscos mortos não pode ser considerado normal.

“Possivelmente esteja associado à chegada do óleo, mas somente análises da qualidade da água, sedimento e especialmente do massunim, tanto o morto quanto o vivo, é que poderemos afirmar as causas das mortes. Enquanto não houver essas análises, será bem difícil essa situação de dúvida”, opinou.

No dia 23 de outubro deste ano o mesmo fenômeno aconteceu na Praia do Pontal do Peba, na cidade de Piaçabuçu, Litoral Sul de Alagoas. Na época o chefe da divisão técnica do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) em Alagoas, Rivaldo Couto, informou que as mortes seriam investigadas, mas ainda não há resultados de análises.

“As mortes podem estar relacionadas com a mudança do vento, que nessa época tem influência sobre o transporte litorâneo de sedimentos na costa”, explicou Rivaldo na época.

Duas mil toneladas

Mais de duas mil toneladas de petróleo cru, areia e sargaço contaminados já foram retiradas das praias de Alagoas desde que as primeiras manchas de óleo começaram a surgir no litoral do Nordeste no final de agosto deste ano até a segunda-feira (4).

De acordo com a atualização do Instituto do Meio Ambiente (IMA) foram retiradas 2.175,27 toneladas do material poluente em praias de 13 cidades atingidas pelo desastre ambiental no estado.

As cidades de Alagoas que já foram atingidas pelas manchas de óleo são: Feliz Deserto, Maceió, Piaçabuçu, Coruripe, Paripueira, Roteiro, Barra de Santo Antônio, Marechal Deodoro, Passo de Camaragibe, Japaratinga, Barra de São Miguel, Maragogi e Porto de Pedras.

Todo óleo está sendo levado para o Centro de Tratamento de Resíduos (CTR), na cidade do Pilar, Região Metropolitana de Maceió, onde está sendo isolado em um galpão para se decompor.

Thayanne Magalhães

Comentários

OP9

Receba nossa newletter

Com que frequência deseja receber o informativo: