O portal do Sistema Opinião

POP9

Especial

al

Rafael Tenório, de vendedor de cocada a “cartola” rei dos acessos

Rafael Tenório começou a trabalhar aos 8 anos, morou em São Paulo, tornou-se empresário e à frente do CSA conseguiu o feito inédito de subir da Série D para a A de forma consecutiva

dezembro 29, 2018 às 08:46 - Por:

Arte: Keops Ferraz/OP9

Arte: Keops Ferraz/OP9

O garoto de 8 anos que começou a vender cocada e se transformou em um dos maiores empresários do ramo de alimentos de Alagoas conseguiu em 2018  levar o Centro Sportivo Alagoano para a Série A do Campeonato Brasileiro. Estamos falando do presidente do CSA, o agropecuarista Rafael Tenório que em quatro anos memoráveis para o azulão tirou o time então sem divisão, afundado em dívidas, e o levou à elite do futebol brasileiro de forma consecutiva, feito inédito no futebol brasileiro. Aplica no clube de coração as lições aprendidas ao longo da vida.

Clique aqui para ver a história de outros personagens de 2018 do Nordeste

Na casa dos 60 anos, Cícero Rafael Tenório conta que seu pai era servidor público da Prefeitura de Maceió e atuava como vigia. A mãe era dona de casa e para ajudar nas despesas da casa, “catava” sururu na lagoa de Bebedouro. “Fui criado no bairro do Mutange. Somos em 10 irmãos e aos 8 anos eu comecei a sair de casa para vender tapioca e cocada pelos bairros vizinhos. Aos 13 fui estudar no Cepa, na Escola Moreira e Silva e aos 16 trabalhei em uma padaria como entregador de pães. Era final da década de 1960 quando passei um bom período jogando na base do CSA mas tive que deixar o futebol para trabalhar. Entrei para o Exército onde permaneci por um ano e saí de lá para trabalhar como vendedor. No ano de 1975, como era o sonho de todo nordestino, eu fui morar em São Paulo, onde passei seis meses trabalhando como cobrador de ônibus”, relata o empresário.

Foi em São Paulo que Rafael Tenório fez um teste para trabalhar no Banco Bradesco e acabou conseguindo a vaga. Já estabelecido na agência, conseguiu transferência para Maceió, onde trabalhou no Centro da cidade. “Fui promovido rapidamente a inspetor do banco, mas não era aquilo que eu queria. Larguei o emprego e fui atrás de realizar meu sonho de ser empresário, de ter meu próprio negócio. O primeiro passo foi dado em 1981, há 36 anos”, declarou o empresário, hoje casado e pai de quatro filhos.

O presidente do CSA também entrou na vida política e nas últimas eleições foi 1º suplente ao Senado na chapa do senador Renan Calheiros (MDB), quando apareceu no DivulgaCand do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) como o mais rico em bens nas eleições deste ano. O total de bens do empresário chega a R$ 71.251.493,33.

No ano de 2010 Rafael Tenório foi homenageado pela Câmara de Vereadores de Maceió e os parlamentares destacaram na época que suas empresas geram mais de 700 empregos diretos, além de outros 1.500 indiretos, sendo um dos maiores contribuintes em ICMS de Alagoas. Lembraram também das inúmeras instituições carentes que são beneficiadas pelo empresário com doações de gêneros alimentícios. “Quero dar meu testemunho pessoal a esta e a outras gerações de que um garoto pobre pode crescer e dar sua contribuição aos mais necessitados. Isso é possível através do trabalho, da boa conduta e das boas amizades”.

Thayanne Magalhães

Comentários

OP9

Receba nossa newletter

Com que frequência deseja receber o informativo: